Sociedade

Há risco de derrame de combustível por navio encalhado no Bugio, mas Autoridade Marítima garante que é baixo

O porta-voz da Autoridade Marítima garante que o risco de derrame de combustível é mínimo, apesar de admitir que o mesmo tem sido muito fustigado.

“O risco existe. O navio já está há algum tempo a ser fustigado pela ondulação, mas para já não apresenta danos estruturais. A bordo estão 130 toneladas de combustível marítimo e 20 toneladas de resíduos oleosos”, referiu o comandante Fernando Pereira da Fonseca, em declarações à Agência Lusa.

O comandante adiantou ainda que, apesar de o risco ser baixo, a Autoridade Marítima já tem um plano de contingência em curso caso aconteça o pior.

A mesma fonte esclareceu já foi deslocado material de combate à poluição da base logística de Tróia para Lisboa. “Todas as equipas estão de prontidão. Há um centro de controlo para a coordenação dos meios pronto e a Marinha já tem 120 militares em prontidão para reforçar estas equipas. Mas, para já, a probabilidade é baixa, o navio mantém a sua integridade estrutural”, disse.

Recorde-se que o navio está encalhado desde as 01h desta terça-feira, junto ao Bugio, na foz do rio Tejo, ao largo de Lisboa.