Economia

Géneros diversos na energia futura

Efacec quer recrutar 700 colaboradores até 2020, ano em que espera ter meio milhar de mulheres em todas as áreas da empresa, focada na automação e mobilidade elétrica.

A Efacec anunciou esta semana que até 2020 vai contratar 700 pessoas, numa estratégia que privilegia a diversidade de género e tem como ambição ter mais mulheres em todas as áreas de uma empresa focada na automação e na mobilidade elétrica.

Chegar às 500 mulheres até 2020 é o objetivo global da empresa, que neste momento conta com 352 mulheres nos seus quadros – 15,4% do total de colaboradores, que ultrapassam os 2300, 2000 dos quais em Portugal. «Consciente do seu papel na sociedade e junto da comunidade envolvente, a Efacec quer também contribuir para uma mudança positiva na sociedade, desenvolvendo iniciativas iniciativas e ações que valorizem o desenvolvimento do talento e promovam a diversidade de género», afirma o CEO da Efacec.

De acordo com Ângelo Ramalho, em comunicado enviado ao SOL, «o novo século veio exigir ao setor industrial uma maior atenção ao detalhe e ao pormenor bem como uma capacidade analítica e de sistematização que se ligam de forma natural às características das mulheres», pelo que é este o «racional na base desta nossa aposta». 

O programa 700 Recruta+ tem como foco os negócios nos setores em que atua a Efacec e como objetivo o contributo da firma para que mais mulheres aceitem o desafio de uma carreira profissional em contexto de engenharia e de ambiente industrial. Isto numa dinâmica em que a «tecnologia evolui a um ritmo elevado, com avanços e descobertas que há anos atrás seriam improváveis de acontecer, mas na qual «continua a ser essencial a intervenção humana», salienta Ângelo Ramalho.
 
Empregador de referência

A empresa portuguesa, que tem como principal acionista Isabel dos Santos – que desde 2015 controla 66% da empresa através da sociedade Winterfell – inaugurou no início de fevereiro uma nova unidade de mobilidade elétrica, segmento no qual é líder mundial, num investimento de 2,5 milhões de euros.

O negócio da mobilidade elétrica emprega 112 pessoas, mas deverá passar para 190 colaboradores até final deste ano e empregar até 400 pessoas em 2025. Pesa já 6% do volume de negócios da Efacec, cerca de 26 milhões de euros, e há a ambição de atingir os 15%, com o objetivo de ultrapassar os 100 milhões de euros de volume de negócios deste segmento em três anos.

Na altura, Isabel dos Santos apontou que objetivo da empresa é ser «empregador de referência em Portugal, formando quadros capazes de levar as suas competências a qualquer canto do mundo e acolhendo também aqui os melhores talentos internacionais».

Na mesma ocasião, ao SOL, Ângelo Ramalho revelava que «a maior parte do talento é português – e é esse talento português que estamos a exponenciar», mas lembrando que a «Efacec tem 350 pessoas fora de Portugal e a maior parte não são portuguesas».

O CEO acrescenta que a Efacec vai «incorporar cada vez mais talentos de outras geografias que obviamente fazem o blending com o talento português e vai-nos permitir avançar mais depressa e antever, se possível, aquilo que sejam as tendências do mercado».

A Efacec é uma empresa portuguesa presente em mais de 90 países e 76% da sua atividade é resultado de exportações.