França

Frente Nacional muda de nome

Marine Le Pen expulsou o pai Jean-Marie Le Pen de presidente honorário do partido de direita, e para assinalar uma ainda maior rutura, mudou o nome do partido de Frente Nacional para Reagrupamento Nacional.

A mudança do partido fundado em 1972 foi aceite, em consulta interna, por 52% dos militantes que se pronunciaram. O novo nome foi recebido com pouco entusiasmo pelos 1500 delegados ao congresso.  

No evento que decorreu em Lille, Marine Le Pen, 49 anos e única candidata, foi reeleita com 100% dos votos. A eleição aconteceu por correspondência e o resultado foi proclamado este domingo.

Os militantes presentes na cidade do norte de França aprovaram ainda por 79,7% dos votos (20,2% contra) o novo estatuto que suprime a presidência honorária.

Em 2015, depois da reiterada negação do Holocausto, Jean-Marie Le Pen, que presidiu o partido de extrema-direita francês durante 39 anos, de 1972 a 2011, já tinha sido excluído da FN por Marine Le Pen.

A exclusão de provocou uma longa batalha judicial entre pai e filha Jean-Marie Le Pen, que publicou suas memórias poucos dias antes do congresso, desistiu de comparecer, o que aconteceu pela primeira vez.

A direção da FN tinha advertido que a sua entrada estava proibida ter sido excluído e Jean-Marie Le Pen, que mantém uma grande popularidade entre os simpatizantes do partido, optou por passar o fim de semana numa livraria de Paris a autografar o seu livro de memórias.