Internacional

Madrasta de Gabriel Cruz fica em prisão preventiva

A madrasta de Gabriel Cruz, a criança de oito ano que estava desaparecida em Espanha e cujo o corpo foi encontrado no passado domingo, vai aguardar julgamento em prisão preventiva, sem direito a fiança.

Ana Julia, a mulher que confessou ter matado o enteado ao asifixiá-lo, viu ser-lhe decretada, esta quinta-feira, prisão preventiva, pelo juiz de instrução do Tribunal de Almería, em Espanha.

O tribunal atendeu ao pedido do Ministério Público, que pretendia que a mulher não tivesse qualquer direito a fiança. 

Recorde-se que, Ana Julia foi detida no início desta semana, vários dias depois do desaparecimento do menor, tendo acabado por confessar o crime. No entanto, mantém a versão de que a sua intenção não seria essa.

A autópsia concluiu feita ao corpo da criança revelou que esta morreu asfixiada.