Vida

“Casa dos Horrores”. Filhos do casal já tiveram alta do hospital

Os 13 filhos do casal da “Casa dos Horrores”, como tem sido designada, foram enviados para o hospital, e a recuperação tem corrido bem.

O casal Turpin é suspeito de ter mantido os filhos em cativeiro ao longo de vários anos, e acusados de maus –tratos.

De acordo com as autoridades locais, as 13 crianças saíram do hospital e estão agora em três casas de acolhimento, no condado de Riverside, na Califórnia.

Os filhos mais velhos, com idades compreendidas entre os 18 e os 29 anos, tiveram alta do Centro Médico Regional de Corona, onde estiveram nos últimos meses, desde que foram retirados da casa. “Houve algumas lágrimas [na despedida], tanto da equipa como dos próprios Turpin filhos”, declarou Mark Uffer, dirigente do Centro Médico.

“Temos esperança de que eles possam aprender várias ferramentas para a vida como ir às compras ou cozinhar”, acrescentou ainda o responsáve, adiantando que, “apesar de todas as coisas que alegadamente lhes fizeram, eles continuam a ter capacidade de amar e de confiar nas pessoas que são boas para eles. O seu espírito não foi esmagado.”

As outras crianças (menores de idade), encontram-se numa outra casa de acolhimento e as restantes numa terceira casa, todas se situam em Riverside.

Segundo a CNN, que cita fontes ligadas à investigação, ainda não foi possível encontrar uma casa que pudesse acolher as crianças mais novos. “Eles falam frequentemente via Skype. Estão felizes por estar noutro sítio”, referiu a mesma fonte.

Recorde-se que, estas crianças viviam escondidas na casa dos pais, e foram sujeitos a maus-tratos físicos e psicológicos. Além disso, eram acorrentados às suas camas e só podiam tomar banho uma vez por ano.

As crianças quando foram encontradas apresentavam sinais visíveis de subnutrição, sendo que uma das filahs, a filha mais velha, estava a pesar apenas 37 quilos

A retirada das crianças daquela casa deu-se quando uma das vítimas, a filha de 17 anos, conseguiu fugir e contactar as autoridades.

Os pais foram detidos e estão agora acusados de tortura e negligência infantil.