Sociedade

Fizz. Ex-procurador Orlando Figueira em liberdade

Orlando Figueira deixará de estar em casa com pulseira eletrónica, ficando apenas obrigado a entregar o seu passaporte e a assistir a todas as sessões de julgamento.

O tribunal decidiu alterar a medida de coação do antigo procurador do DCIAP acusado de corrupção no caso Fizz. Orlando Figueira estava em prisão domiciliária desde junho de 2016.

O antigo magistrado, suspeito de receber subornos de Manuel Vicente para arquivar inquéritos que o visavam, terá agora de entregar o seu passaporte e fica obrigado a assistir a todas as sessões de julgamento.

A medida de coação tinha sido mantida há um mês após um pedido de reavaliação feita pelo arguido, mas o coletivo decidiu agora que tendo em conta os princípios da adequação e da necessidade deixava de se justificar uma medida tão pesada.

Segundo a defesa, os juízes consideraram já não haver perigo de obstar à produção de prova.

À saída do tribunal, Orlando Figueira disse estar "felicissimo", acrescentando que acredita que a "justiça será feita": "Há dois anos que esperava por esta decisão".