Economia

Mais de dois mil clientes regressaram às tarifas reguladas da luz em janeiro

Mais de 2000 consumidores que estavam no mercado livre de eletricidade regressaram ao mercado em janeiro e optaram pelo novo regime equiparado ao das tarifas reguladas. Os dados são da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Desde janeiro, as famílias no mercado livre de eletricidade passaram a poder regressar à tarifa regulada, mantendo o mesmo comercializador, se este disponibilizar o novo regime, ou voltando ao fornecedor em mercado regulado, a EDP – Serviço Universal.

"Cessaram contrato no mercado 13.248 clientes sem que tenham celebrado outro contrato de fornecimento e regressaram ao mercado regulado (MR) 2.058 clientes, decorrendo já da possibilidade dos consumidores domésticos de eletricidade optarem pelo regime equiparado ao das tarifas transitórias ou reguladas", explica a ERSE.

Ainda assim, refere que "o número de clientes em atividade no mercado livre aumentou em 10.970 " em relação a dezembro de 2017.

Segundo dados da instituição, o mercado livre de eletricidade registou em janeiro 4,98 milhões de clientes, um crescimento de 4,4% face a igual mês do ano passado.

Atualmente, 80% do número total de clientes e 93% do consumo registado em território nacional estão em mercado liberalizado de eletricidade, em que a EDP Comercial manteve a sua posição como o principal operador no mercado livre em número de clientes (83% do total de clientes) e em consumos (cerca de 42% dos fornecimentos). Contudo, em comparação com dezembro, a sua quota diminuiu 0,4 pontos percentuais em número de clientes e 0,6 pontos percentuais em termos de consumo.

A Endesa mantém a liderança no segmento de clientes industriais (29%). Já a Iberdrola (28%) reforçou a sua liderança no segmento dos grandes consumidores.

Em termos de consumo, registou-se um aumento de 234 gigawatt hora (GWh) face a dezembro para um total de 42.097 GWh, o que representa um crescimento de 2,7% face ao mês homólogo de 2017.