Politica

Deputados independentes pelo PS demitem-se me Cascais

Os três deputados anunciaram esta segunda-feira, na reunião da Assembleia Municipal, a sua intenção de demitirem-se

Maria Isabel Magalhães anunciou esta segunda-feira que se iria demitir do cargo de deputada da Assembleia Municipal de Cascais. A deputada independente eleita pelo PS acusa o grupo parlamentar que integra de falta de respeito pela independência partidária. À deputada, juntam-se os restantes independentes, Marita Ferreira e João Pedro Rocha dos Santos.

"Vou apresentar hoje, pessoalmente, ao nosso presidente da assembleia, no final desta reunião, a renúncia ao cargo de deputada para que fui eleita no passado dia 1 de outubro de 2017, opção em que por razões idênticas serei acompanhada pelos outros independentes com assento nesta assembleia", disse Maria Isabel Magalhães durante a reunião da Assembleia Municipal

A deputada explicou as razões com a "falta de compreensão e respeito pela verdadeira independência", assim como a incapacidade da deputada "em admitir que os jogos político-partidários, os ambientes crispados e as lutas intestinas se sobreponham aos interesses de Cascais". "Do ponto de vista pragmático estou aqui a fazer muito pouca coisa, a não ser dar voz muito esporádica e com efeitos práticos muito diminutos aos cidadãos que me honraram com a sua confiança", acrescentou.

Maria Isabel Magalhães, que no anterior mandato tinha sido eleita pelos independentes SerCascais, tinha decidido em março do ano passado não se candidatar nas eleições autárquicas devido à "falta de inclusão de todos quantos são eleitos na efetiva governação" e à "injustiça de normas inconstitucionais que persistem no nosso órgão de ordenamento jurídico por vontade dos partidos, normas estas que suportam uma gritante desigualdade de tratamento entre as candidaturas independentes e as partidárias".

No entanto, a convite do PS, os três deputados que agora renunciam ao cargo integraram a lista do PS com o objetivo de acabar com a maioria absoluta do PSD, liderada por Carlos Carreiras. "Contudo as variadas razões que aleguei para justificar as minhas intenções para não me candidatar há um ano atrás persistem", reforçou Maria Isabel Magalhães.