Economia

Centeno diz que "havia um verdadeiro problema financeiro" quando governo assumiu funções

O ministro das Finanças admitiu, esta terça-feira, que quando o governo assumiu funções "havia um verdadeiro problema financeiro".

Um desses problemas dizia respeito ao Novo Banco que acabou por ser vendido ao fundo norte americano Lone Star com o fundo de resolução a ficar com 25% da instituição financeira. Mas questionado pelo deputado comunista Miguel Tiago sobre a nova necessidade de injetar mais capital, Centeno disse apenas que "não tinha informação suficiente" para comentar essa situação.

Já em relação às necessidades de recapitalização por parte da Caixa Geral de Depósitos, o ministro lembrou que continua a decorrer uma auditoria ao banco público e garante que os "os resultados dessa auditoria deverão ser conhecidos nas próximas semanas".

Mourinho Félix, secretário de Estado Adjunto e das Finanças, afastou, no entanto, a acusação do deputado comunista ao dizer que o fundo norte-americano tinha injectado mil milhões de euros no Novo Banco mas "que ia agora buscar cerca de 800 milhões de euros". De acordo com o governante, as imparidades agora reconhecidas pela instituição financeira no valor de dois mil milhões de euros vem agora necessitar de uma injeção de 792 milhões de euros por parte do fundo de resolução. "Essa ideia é uma questão falsa", salienta aos deputados.

Mourinho Félix comentou ainda a situação do Montepio, lembrando que a questão da idoneidade da nova administração do banco está a ser avaliada pelo Banco de Portugal. Ainda assim, prometeu um acompanhanto em relação às situação da instituição financeira, nomeadamente no que diz respeito à venda dos produtos mutualistas.