Sociedade

Professor de xadrez condenado a pena suspensa por abuso sexual de aluna

Homem diz que não cometeu qualquer crime e diz que a criança o acusou como forma de “vingança por um ralhete”

Quatro anos e meio de prisão, com pena suspensa. Foi esta a pena a que um professor de xadrez de Braga foi condenado por um crime de abuso sexual agravado de uma aluna de 10 anos.

O coletivo de juízes do Tribunal de Braga condenou ainda o autor do crime, de 38 anos, a pagar à vítima, agora com 12 anos, uma indemnização de 10 mil euros por danos não patrimoniais e a submeter-se a um regime de prova, que pode passar por um tratamento do foro psiquiátrico, revela o site do jornal Vilaverdense.

De acordo com a mesma publicação, os abusos terão ocorrido ao longo de um ano, na casa de banho do clube onde o autor do crime era professor e na casa do arguido. Para além disso, usava o computador da sala de aula para mostrar conteúdos pornográficos à menor.

O caso só foi conhecido quando a menina desabafou com uma colega, que por sua vez contou à mãe, explica o Diário de Notícias. Esta contactou a família da vítima, que apresentou queixa e desencadeou o processo de detenção do professor, em 2016, pela Polícia Judiciária de Braga. A acusação referia que o homem seduzia a aluna, dizendo-lhe que era “especial, diferente das restantes e que queria namorar com ela”.

Os juízes tiveram em conta o facto de o professor não ter antecedentes criminais. O homem negou o seu envolvimento nos crimes, dizendo que a criança o acusou como forma de “vingança por um ralhete” que deu durante uma das aulas.