Opiniao

Lula ou a defesa indefensável

A Justiça brasileira que está a ser tão atacada pela Esquerda, quer brasileira quer portuguesa, será a mesma que condenou Eduardo Cunha, o homem que esteve na linha da frente para tramar Dilma Rousseff e conseguiu? Será a mesma que também mandou para a cadeia Sérgio Cabral, antigo governador do Rio de Janeiro, igualmente de Direita? A resposta é sim.

Só que para algumas cabeças bem-pensantes a Justiça deve ser uma para a Esquerda e outra para a Direita. Ou seja: sempre que se prova, e não foi só um tribunal, que alguém de Esquerda é corrupto tudo não passa de uma interferência da política na Justiça. Já quando a figura condenada é de Direita estamos perante um caso de rigor e assertividade dos tribunais.

Que Lula conseguiu tirar mais de 20 milhões de brasileiros da pobreza é um facto indesmentível, até pelo Banco Mundial. Que os programas Bolsa Família e Fome Zero tiveram um papel fundamental nessa liderança também é inquestionável. Há quem goste de dizer que Fernando Henrique Cardoso, o Presidente a quem Lula sucedeu, lançou as raízes para o consulado do antigo metalúrgico, mas a verdade é que foi o homem condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro que fez o bem ao povo. 

Mas à medida que foi fazendo bem ao povo, Lula foi-se ‘entrumando’ com os hábitos burgueses e isso acabou por ser fatal para o antigo Presidente. As provas de corrupção foram tão evidentes que dois tribunais superiores o condenaram, primeiro a nove anos e depois a pena foi revista para 12. Claro que muitos daqueles que acham que Lula está a ser vítima do sistema político também acham que Hugo Chávez era um democrata vítima do capitalismo americano. Confesso que adorava comprar uns óculos destes que fazem a realidade mudar consoante o artista em questão.

Se Lula fosse um verdadeiro democrata não se tinha escondido no Sindicato dos Metalúrgicos e esperado atos de violência. Se não, repare-se no que disse o seu companheiro de luta, o senador Lindbergh Faria do PT: «Na minha avaliação, não tem que se entregar. Se entregar é admitir culpa; não é o caso. Têm de prender o Lula no meio desse mar de gente, numa violência com repercussão internacional». Extraordinário este argumento que deita por terra toda a história da cabala sobre a decisão rápida do juiz Sérgio Moro, uma espécie de Giovanni Falcone, o juiz que lutou contra a máfia italiana.

Os defensores de Lula não querem que ele vá para a prisão, hoje ou daqui a um ano. Moro já mandou para a cadeia centenas de políticos de ambos os quadrantes no famoso caso Lava Jato, mas tem de ser considerado parte interessada na matéria sempre que um dos atingidos é do Partidos dos Trabalhadores.

Não vale a pena fugir à questão: o Brasil vive num imenso mar de corrupção e uns são de Direita e outros de Esquerda. E, sim: há uns militares trogloditas que sonham em chegar ao poder através da força para subjugarem os outros à sua miséria de ideias. Mas esses militares ainda não perceberam que o tempo em que mandavam na sociedade já acabou há muito. Penso que os brasileiros não querem ser uma cópia da Venezuela, onde um ditadorzeco se mantém no poder com o apoio dos militares, contribuindo para uma vida miserável da população. O Brasil precisa que a Justiça continue a fazer o seu trabalho e que não dê tréguas aos corruptos. Independentemente de quem sejam.