Desporto

Tomás Melo Gouveia é top-50 do Pro Golf Tour e vai ao Open de Portugal

Tomás Melo Gouveia entrou no top-50 do Pro Golf Tour, ascendendo ao 47° lugar, depois de terminar em 28.º no Open Royal Golf Anfa Mohammedia, em Marrocos, de 30 mil euros em prémios.

O português de 23 anos ganhou 355 euros, depois de somar 217 pancadas, 4 acima do Par, com voltas de 73, 72 e 72.

“Foi uma semana positiva, tendo passado o cut e subido 5 lugares no ranking. Sinto que o meu jogo está a evoluir e cada vez sou mais consistente”, disse o (ainda) campeão nacional amador à Tee Times Golf.

O mais novo dos irmãos Melo Gouveia está a atingir uma regularidade exibicional mais elevada nas últimas semanas e pelo terceiro torneio consecutivo passou o cut no Pro Golf Tour, uma série inédita para ele nesta terceira divisão europeia.

“Consegui entrar no top-50 do ranking (47º) com uma subida de 5 lugares. Fico contente com esta melhoria, mas ainda estou muito longe do objetivo”, sublinhou, referindo-se, obviamente, ao facto de só o top-5 no final da temporada ascender ao Challenge Tour, a segunda divisão europeia.

Tomás Melo Gouveia mostrou alguma força mental logo no início do torneio, pois as coisas estiveram mal paradas numa primeira volta em que viu-se forçado a uma grande recuperação. Chegou ao seu oitavo buraco (saiu do tee do 10) fora do top-100, depois de 1 duplo-bogey e 1 triplo, mas nos últimos 11 buracos não falhou e somou mais 2 birdies.

“O meu desempenho neste torneio não esteve ao nível do que queria. Os shots ao green e do tee não estiveram muito bem, mas o jogo curto esteve lá para compensar”, elucidou.

Por outro lado, sentiu necessidade de adaptar-se às características especiais do Mohammedia Royal Golf Club: “Este campo é bem diferente dos últimos dois, com greens muito pequenos, fairways muito estreitos, o rough difícil e muitas árvores. Esteve muito calor, mas também vento”.

O jogador do ACP Golfe terminou aquela difícil primeira volta no 28.º lugar e foi nessa exatamente posição que encerrou a prova, antes de regressar a Portugal para disputar o 1.º Obidos International Open, de 30 mil euros em prémios, integrado no Alps Tour, um circuito concorrente do Pro Golf tour onde milita habitualmente.

Um regresso a casa particularmente saboroso, por ter sabido, entretanto, que a PGA de Portugal, atenta aos bons resultados alcançados recentemente em Marrocos, atribuiu-lhe um convite para o 56.º Open de Portugal@Morgado Golf Resort.

Há um ano, os dois irmãos Melo Gouveia jogaram juntos aquele torneio em Portimão, quando Tomás era ainda amador. Agora, será uma participação diferente dado já ser profissional e poder ambicionar uma boa fatia dos 200 mil euros em jogo

“Estar garantido no Open de Portugal é muito importante para mim e obviamente fico muito contente. É um torneio que estava na minha lista de objetivos, um torneio que queria muito jogar por ser o nosso Open nacional e um torneio do Challenge Tour”, rejubilou.

O Open Royal Golf Mohammedia teve 127 participantes, o cut fixou-se em +4 e os outros dois portugueses foram eliminados: Tiago Rodrigues com 149 (75+74), +7, e João Zitzer 152 (79+73), +10.

Foi o último torneio do Pro Golf Tour em Marrocos e o alemão Max Kramer ganhou com 8 abaixo do Par, com voltas de 71, 66 e 68, superando por 2 shots o holandês Max Albertus e o escocês Christopher Maclean.

O próximo torneio do Pro Golf Tour será o Haugschlag NÖ Open, de 30 mil euros em prémios, no Golfresort Haugschlag, na Áustria. Tomás Melo Gouveia e João Zitzer estão inscritos na prova.

Hugo Ribeiro / Tee Times Golf