Desporto

Ténis. Ursula Radwanska regressa aos quartos-de-final do Obidos Ladies Open

Quadro principal recheado de três campeãs e duas finalistas de torneios do Grand Slam de sub-18

O 2.º Obidos Ladies Open, que já não tem qualquer portuguesa em prova no torneio de singulares, apresenta esta semana um quadro principal recheado de três jogadoras que já foram n.º1 do ranking mundial de sub-18 e de cinco atletas que nesse escalão etário foram campeãs ou finalistas de torneios do Grand Slam.

 
Trata-se de um luxo, de um quadro de sonho para um torneio que não pertence ao circuito WTA (a primeira divisão do ténis feminino mundial) mas ao circuito profissional da Federação Internacional de Ténis (ITF), um tour secundário, embora conte para o ranking mundial (WTA) e distribua 25 mil dólares em prémios monetários, pouco mais de 20 mil euros.
 
A grande estrela tem sido Ursula Radwanska, de 27 anos, que não esteve na Bom Sucesso Tennis Academy na semana passada, no primeiro desta série de três torneios, mas que enviou um e-mail ao diretor de torneio, Nuno Mota, a solicitar um convite para as duas etapas seguintes.
 
Parece incrível mas é verdade. Está em Portugal, num 25 mil dólares, a Ursula Radwanska que venceu o torneio de juniores de Wimbledon de 2007 e foi finalista do US Open no mesmo ano, sendo, obviamente, a n.º1 mundial de sub-18 desse ano. A polaca igualmente conhecida pelas sessões fotográficas sensuais que protagoniza.
 
Radwanska pode estar agora fora das 500 primeiras do ranking mundial, mas vale muito mais do que isso e já foi 29.ª classificada em 2012, antes de lesões que a forçaram a três intervenções cirúrgicas, a última das quais a um tornozelo.
 
Aliás, hoje (quinta-feira) qualificou-se para os quartos de final do 2.º Obidos Ladies Open, ao derrotar a 3.ª cabeça de série, a francesa Jessika Ponchet, por 6-1, 2-6 e 6-2. Na primeira ronda tinha levado a melhor sobre a sérvia Nina Stojanovic por 6-3 e 6-3.
 
É a sua primeira presença em quartos de final de torneios a contar para o ranking mundial desde o ITF de Redding, nos Estados Unidos, em setembro do ano passado. «E nessa altura já nem joguei os quartos de final, porque tive uma recaída a tal lesão no tornozelo», explicou a jogadora que acrescenta «gostar de jogar em relva, mesmo que não seja relva natural e seja sintética como esta».
 
Faz sentido. Afinal, para além da vitória em Wimbledon, também ganhou sobre relva natural um 75 mil dólares em Nottingham em 2012, um dos seus 4 títulos de singulares a nível ITF. E em eventos da categoria maior, WTA, foi finalista por duas vezes, uma delas também em relva natural, em 's-Hertogenbosch (Holanda), em 2012.
 
«Quando jogo um torneio penso sempre em ganhá-lo e é com esse pensamento que venho para cá, veremos», declarou hoje, consciente de que terá uma tarefa dura pela frente nos quartos de final de amanhã, a partir do meio-dia, frente à 5.ª cabeça de série, a espanhola Olga Saez Larra, num primeiro duelo entre ambas.
 
Nos oitavos de final, Olga Saez Larra eliminou a eslovaca Tereza Mihalikova, a campeã de sub-18 do Open da Austrália de 2015, ano em que bateu na final a britânica Katie Swan, que hoje, em Óbidos, cometeu a proeza de afastar a 1.ª cabeça de série, a australiana Arina Rodionova por 2-6, 6-3 e 6-3.
 
Katie Swan, que venceu o Obidos Ladies Open de outubro do ano passado, enfrenta amanhã nos quartos de final, também ao meio-dia, a jogadora que ganhou há poucos dias o 1.º Obidos Ladies Open de 2018, a sérvia Ivana Jorovic, a 8.ª cabeça de série.
 
Jorovic, também ela uma antiga n.º1 mundial de sub-18 e antiga finalista de Roland Garros juniores, continua invencível, somou a sua sétima vitória seguida e superou a belga An-Sophie Mestach por 7-5 e 6-1. Foi o segundo triunfo seguido em duas semanas consecutivas de Jorovic sobre esta adversária e note-se que Mestach também liderou o ranking mundial de juniores em 2011, ano em que ganhou o Open da Austrália de sub-18, derrotando na final a atual campeã olímpica, Monica Puig.
 
Os quartos de final iniciam-se amanhã (sexta-feira) às 10h30, tanto em singulares como em pares. Nos quartos de final de pares, Francisca Jorge e Maria Inês Fonte, as campeãs nacionais da especialidade, defrontam as espanholas Estrella Cabeza Candela e Angela Fita Boluda. Quanto a Inês Murta e a cambojana Andrea Ka, apanham pela frente com as primeiras cabeças de série, a britânica Freya Christie e a belga An-Sophie Mestach. Hoje, na primeira ronda de pares, as portuguesas Claudia Cianci e Lúcia Quitério foram eliminadas pelas espanholas Yvonne Cavalle-Reimers e Eva Guerrero-Alvartez por 6-2 e 6-2.