Desporto

Taças. Mou aponta ao único troféu da época; Barça é Rei sem título

Em Inglaterra, o Manchester United vai encontrar o Chelsea no final da Taça de Inglaterra. Por sua vez, em Espanha, o Barcelona venceu, pelo quarto ano consecutivo, a Taça do Rei

Com o destino dos campeonatos traçado (salvo a raríssima excepção da Liga italiana, já lá vamos), o fim de semana ficou essencialmente marcado pelas respetivas Taças. 

Em Inglaterra, o Manchester United, de José Mourinho, venceu, este sábado, o Tottenham e garantiu a sua presença na final da competição, que será disputada a 20 de maio. Em Wembley, porém, o cenário nem sempre foi o melhor, já que os spurs até entraram a vencer, com golo de Dele Alli, aos 11 minutos. Contudo, os red devils, que seguem no segundo posto do campeonato inglês, conseguiram alcançar a reviravolta (2-1). O golo do empate foi apontado aos 24’, por Alexis Sánchez, e Ander Herrera, aos 62’, selou o triunfo e a passagem ao jogo derradeiro, que poderá dar aos vermelhos de Manchester o único troféu da temporada 2017/2018.

Pela frente, os comandados do técnico português vão ter o... seu antigo clube. O Chelsea, - emblema que o Special One orientou entre 2004 e 2007 e, mais tarde, entre 2013 e 2015, tendo inclusivamente vencido esta prova por uma vez (2006/07) -, é o segundo finalista da prova inglesa. 

Os blues, atuais quintos classificados na Premier League, derrotaram (2-0) o Southampton, 18.º na tabela da Liga inglesa, com golos de Girou (46’) e Morata (82’), num encontro que contou com o internacional português Cédric Soares no onze inicial.

Se, por um lado, o United tentará conquistar o seu 13.º troféu na prova, cujo o último data de 2015/2016, o Chelsea ambiciona colecionar o oitavo título nesta competição, que não vence desde 2011/2012. 

Barcelona esmaga Sevilha

Em solo espanhol a Taça está oficialmente entregue. Apesar de caminhar a passos largos para o título, a primeira prova conquistada pelos blaugrana na presente época foi a Taça do Rei. No sábado, os comandados de Valverde golearam o Sevilha, do defesa português Daniel Carriço, (5-0) e garantiram o seu quarto troféu consecutivo na competição (e o 30.º da História do emblema catalão). Suárez bisou (inaugurou o marcador aos 14 minutos e voltou a marcar aos 40’), Messi fez o segundo golo da equipa, Iniesta aumentou para 4-0 e Coutinho selou as contas do encontro que se tornou num autêntico pesadelo para o Sevilha, atual 7.º classificado na tabela da liga espanhola e vencedor desta prova em cinco edições (09/10, 06/07, 47/48, 38/39, 34/35).

Nápoles mantém sonho vivo no minuto 90

Este domingo, o Nápoles venceu no reduto da Juventus por 1-0, com o golo da vitória a chegar no minuto 90, pelo senegalês Koulibaly. Com o triunfo, a formação napolitana soma agora 84 pontos e fica a apenas a um da líder Juventus (85). Numa altura em que faltam disputar quatro jornadas, a Liga italiana segue ao rubro, com a Velha Senhora na luta para conquistar o heptacampeonato e o Nápoles na esperança, cada vez mais viva, de alcançar o seu terceiro título de campeão da Serie A, depois de ter conseguido o feito pela primeira vez em 1986/87, e, três anos depois, em 1989/90.