LifeStyle

O New York Times visitou Lisboa durante 36 horas e tem muito a dizer sobre a capital

Os elogios foram muitos, mas as críticas também não ficaram esquecidas.

A jornalista Ingrid K.Williams, do The New York Times, esteve de visita a Lisboa durante 36 horas e elogiou muito tudo o que viu, mas ainda assim considera que há coisas que devem ser melhoradas. Os pastéis de nata foram, evidentemente, assunto.

"Esqueçam Lisboa como a capital [mais] económica da Europa. Sim, o marisco ainda é (relativamente) barato, tal como o vinho", escreve a jornalista, sublinhando que “nunca se pagará mais de um euro e pouco pelos pastéis de nata, o clássico da pastelaria portuguesa". Ingrid dá também destaque aos elétricos, “que circulam por entre as colinas".

"Hoje, a capital portuguesa é mais conhecida pelo incandescente panorama gastronómico e pelas instituições culturais de excelência, que incluem um novo museu de categoria internacional na frente ribeirinha", escreve a jornalista do New York Times.

"O charme desvanecido da velha Europa mantém-se mas, com uma enchurrada de [novas] aberturas e com uma inspiração fresca vinda do Atlântico, Lisboa parece destinada a uma nova era dourada", elogia a americana.

Ingrid visitou ainda a Casa Fernando Pessoa, a Casa Pau-Brasil, o Convento da Graça, o LX Factory, passou também pelo Chiado, pelo Príncipe Real e pela Praça das Flores.

Além disso, a jornalista destaca vários outros locais que devemn ser visitados, como é o caso do ateliê de azulejaria Surrealejos, o restaurante Peixaria da Esquina, o espaço de restauração Rio Maravilha e a Pastelaria Alcôa.