Desporto

2.º Óbidos Ladies Open. Urszula Radwanska na primeira final em três anos

A antiga campeã de Wimbledon de sub-18, agora com 27 anos, a regressar aos poucos a um bom nível depois de várias lesões, derrotou nas meias-finais a britânica Katie Swan

A polaca Urszula Radwanska está a dar o melhor uso possível ao convite que solicitou ao diretor de torneio, Nuno Mota, para o 2.º Obidos Ladies Open e ontem (Domingo) qualificou-se para a final do torneio de 25 mil dólares em prémios monetários, integrado no calendário da Federação Internacional de Ténis, a contar para o ranking mundial, que terminará hoje (segunda-feira) na Bom Sucesso Tennis Academy.
 
A antiga campeã de Wimbledon de sub-18, agora com 27 anos, a regressar aos poucos a um bom nível depois de várias lesões, derrotou nas meias-finais a britânica Katie Swan, a campeã de um torneio idêntico realizado nestes mesmos courts de relva sintética em outubro, por 6-3, 1-6 e 6-4, ao cabo de 1h31.
 
Katie Swan, de 19 anos, uma antiga n.º2 mundial de sub-18 e ex-finalista do Open da Austrália de juniores, teve a pouca sorte de sentir demasiadas dores quando liderava o terceiro set por 2-1, “com break à maior”.
 
Foi assistida pela fisioterapeuta Joana Marques ao ombro direito, embora as dores mais intensas fossem sentidas no pulso direito. Tomou um analgésico que lhe foi dado pelo treinador, mas enquanto não fez efeito, Radwanska, que estava a ficar esgotada, aproveitou para inverter o resultado para 4-2 a seu favor. Quando as dores se tornaram suportáveis, Swan recuperou para 4-4 e os últimos dois jogos foram uma carrada de nervos, com a superior experiência e variedade de jogo da polaca, uma antiga 29.ª do ranking WTA, a vierem ao de cima.
 
«Foi muito duro, a minha adversária é uma grande jogadora. Eu não a conhecia porque é muito jovem mas é muito boa, foi uma grande batalha, estou satisfeita de tê-la superado, eu joguei bem e estou feliz de ir à final», disse “Ula”.
 
Urszula Radwanska defronta na final outra britânica, a 2.ª cabeça de série, Katie Boulter, que hoje não jogou pois a sua meia-final tinha-se realizado ontem (Sábado), ainda antes do reaparecimento da chuva.
 
É a primeira final da antiga n.º1 mundial de juniores desde que perdeu a final do WTA de Istambul em 2015 e procura o seu 5.º título ITF mas o 1.º desde 2012.
 
A inglesa, por seu lado, tenta um 4.º troféu de nível ITF, curiosamente o último foi em Istambul, em 2017, e não jogava uma final desde que desistiu por doença (no primeiro set), exatamente no Obidos Ladies Open da última semana de outubro do ano passado.
 
Entretanto, continua a decorrer a fase de qualificação do 3.º Obidos Ladies Open e há um encontro que tem estado a despertar natural interesse, entre duas portuguesas, Maria João Koehler, seis vezes campeã nacional, de 25 anos, e Lúcia Quitério, que ainda há poucos dias completou 18 anos.
 
Num duelo de esquerdinas, referente à segunda ronda, a mais velha, 5.ª cabeça de série, está a liderar por 7-5 e 2-3.
 
Entretanto, há já uma portuguesa apurada para a terceira ronda da qualificação, Mafalda Soares, que bateu Sara Neto por 6-3 e 6-1, e “só” precisa de superar agora a 1.ª cabeça de série, Eva Alvarez-Guerrero para passar ao quadro principal. A espanhola provocou no passado domingo a eliminação de Beatriz Costa por 6-0 e 6-1.

Hugo Ribeiro / Tee Times