Desporto

3.º Obidos Ladies Open. Radwanska esgotada, Rodionova joga final com surpresa Ozgen

Final entre duas cabeças de série joga-se ao meio-dia. Torneio de pares conquistado pelas espanhola Estrella Cabeza-Candela e Angela Fita Boluda, o primeiro título internacional juntas

 

Nem os banhos de gelo que Urszula Radwanska partilhou nas redes sociais lhe valeram e a grande estrela das duas últimas semanas na Bom Sucesso Tennis Academy surgiu hoje (Sábado) completamente esgotada nas meias-finais do 3.º Obidos Ladies Open. Não conseguiu repetir a presença na final, como na semana passada, e foi uma presa fácil de Arina Rodionova, a 1.ª cabeça de série.

Desejava-se que este duelo inédito em torneios de 25 mil dólares da Federação Internacional de Ténis (ITF) fosse uma final antecipada, mas a deficiente condição física da polaca de 27 anos, antiga 29.ª do ranking mundial, impediu-a de lutar pela vitória. Apesar de toda a entrega que colocou em campo, foi derrotada sem grandes hipóteses por 6-1 e 6-2, em 69 minutos.

«Estava mesmo cansada, as minhas pernas estavam demasiado pesadas, depois de todos os encontros disputados aqui, sobretudo na semana passada. Sabia que um dia iria acontecer-me isto, infelizmente foi hoje e a Arina jogou muito bem, é uma jogadora incrível. Parabéns para ela, eu não estive ao meu melhor, mas, mesmo assim, fiquei bastante satisfeita de ter chegado às meias-finais», disse Urszula Radwanska, a antiga campeã de Wimbledon de juniores, que sai de Óbidos com uma final e uma meia-final neste seu lento regresso à competição após três intervenções cirúrgicas.

«Estou muito contente por ter ganho hoje – disse, por seu lado, Arina Rodionova –, ela é uma grande jogadora, tem tentado combater algumas lesões nos últimos anos e neste momento não está ainda a jogar, provavelmente, o seu melhor ténis, mas estou segura de que muito rapidamente irá regressar ao nível a que pertence».

Foi o primeiro triunfo da australiana de 28 anos, 131.ª do ranking mundial, sobre esta rival, embora se recorde que no circuito WTA, na relva de 's-Hertogenbosch, em 2015 (vitória da polaca por 3-6, 7-6 e 6-0), esteve perto de ser bem-sucedida: «Estava a vencer por um set e um break de vantagem, depois caí, magoei o joelho e perdi».

Arina Rodionova, que tinha sido semifinalista há duas semanas no 1.º Obidos Ladies Open, fez um ténis inteligente, de apanhar a bola muito cedo, roubar tempo à adversária, cansá-la e depois provoca-la com alguns amorties cirúrgicos.

Amanhã, a australiana de origem russa irá tentar conquistar o 9.º título ITF da sua carreira, o 7.º em torneios de 25 mil dólares, diante da 6.ª cabeça de série, a turca Pemra Ozgen, que cometeu a proeza de eliminar a 2.ª jogadora d aprova, a britânica Katie Swan, por 6-4 e 6-4, em 1h33. Swan, antiga n.º2 mundial de sub-18, tinha sido semifinalista no 2.º Obidos Ladies Open e campeã nestes mesmos courts em outubro.

«Estou muito contente porque hoje tudo funcionou bem. Nestes courts é uma boa ideia fazer variações de jogo e eu tentei mudar o ritmo e a velocidade da bola… acho que isso foi a chave do encontro de hoje», disse a turca de 31 anos, que bateu nos quartos de final Cláudia Gaspar e que está pela primeira vez a jogar sobre relva sintética, com muito bons resultados. Amanhã procura o seu 15.º título ITF!

A final de singulares do 3.º Obidos Ladies Open está marcada para o meio-dia e coloca frente a frente duas jogadoras que se conhecem muito bem e que vão medir forças pela segunda vez. Em 2009, em hardcourts, no torneio de 25 mil dólares de Karshi, no Uzbequistão, Rodionova venceu por 7-5, 4-6 e 6-3. «Somos boas amigas há muitos anos e até conversámos sobre aquecermos juntas amanhã para a final e fiquei muito contente de vê-la sair-se bem esta semana», informou Rodionova.

Entretanto, terminou hoje o torneio de pares do 3.º Obidos Ladies Open com vitória das espanholas Estrella Cabeza-Candela e Angela Fita Boluda sobre as 1.ª cabeças de série, a britânica Freya Christie e a belga An Sophie Mestach, por 7-6 (7/3), 1-6 e 10/8. Foi o primeiro título juntas. Para Cabeza-Candela foi o 18.º de pares a nível ITF mas o primeiro em Portugal.