Desporto

Ténis. Rodionova campeã do 3.º Óbidos Ladies Open

É o seu 9.º título da Federação Internacional de Ténis.

Um dia depois de derrotar pela primeira vez na sua carreira Urszula Radwanska, Arina Rodionova conquistou hoje (Domingo) o seu 9.º título da Federação Internacional de Ténis (ITF), mas o 1.º desde 2016.

A australiana de origem russa era a 1.ª cabeça de série do 3.º Obidos Ladies Open, graças ao seu posto de n.º131 no ranking mundial, e justificou o favoritismo na final diante a sua amiga turca, Pemra Ozgen, a 6.ª cabeça de série e 374.ª da hierarquia da WTA. A final começou com um atraso de três horas e meia devido à chuva matinal e terminou com os parciais de 6-3 e 6-2, ao cabo de 75 minutos.

«Adoro o meu troféu, combina com a minha cozinha», começou por dizer no seu discurso de campeã Arina Rodionova, referindo-se à famosa louça das Caldas. «Gostei muito de Óbidos, é uma cidade muito bonita, trouxe a minha mãe e ela adorou o castelo», acrescentou a irmã de Anastasia Rodionova (que chegou a ser top-100 mundial). Sobre a final, Arina considerou: «foram condições duras para ambas, tivemos de esperar algumas horas para começarmos a final, mas depois o dia ficou lindo, com sol, calor. Acho que oferecemos um ténis de elevada qualidade. No início eu estava um pouco tensa, mas depois soltei-me, passei para a frente do marcador, ganhei confiança e gostei da minha performance. Ouvi dizer que terão mais alguns torneios no final do ano aqui e estou desejosa de voltar».

A jogadora que nos seus dados biográficos no site da WTA diz que as suas cidades preferidas são Melbourne, Moscovo e Lisboa, conta que há sete anos viveu em Portugal e teve treinadores portugueses: Paulo Lucas, André Lopes e Pedro Pereira.

«Treinei muitas vezes no Estádio Nacional. Sempre adorei Portugal, era como que o meu país e de cada vez que venho sinto-me logo em casa. Gosto muito do vosso povo, são todos simpáticos, a comida é maravilhosa e ainda pensei em mudar-me definitivamente para cá, mas depois conheci um homem, casei-me, mudei-me para a Austrália, mas gosto sempre de regressar. E como fiquei a saber que vocês estão a pensar terem de novo mais torneios internacionais, vou aproveitar as oportunidades que tiver para vir cá jogar de novo», prometeu.

Segundo informações prestadas pela selecionadora nacional, Neuza Silva, a Federação Portuguesa de Ténis planeia ter pelo menos 20 torneios femininos a contar para o ranking mundial WTA em 2018 e nove deles serão na Bom Sucesso Tennis Academy.

Esta foi a primeira de três séries de três torneios de 25 mil dólares em prémios monetários. A segunda série está já aí à porta e irá decorrer de 26 de maio a 17 de junho.

O presidente-executivo do Bom Sucesso Resort, Pedro Portugal, estava satisfeito destas três primeiras semanas: «A organização superou as dificuldades com que se deparou, sobretudo meteorológicas, e foram muito importantes os apoios da Câmara Municipal de Óbidos e da Federação Portuguesa de Ténis. Confesso que fomos um pouco surpreendidos com a qualidade das jogadoras que conseguimos ter. O nosso objetivo é reforçar internacionalmente a marca Obidos Ladies Open e a presença destas jogadoras comprova que o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido já começa a colher alguns resultados».

Com campeãs como a sérvia Ivana Jorovic, antiga n.º1 mundial de sub-18; a britânica Katie Boulter, antiga n.º10 de sub-18; e agora Arina Rodionova, antiga jogadora do circuito WTA e a aproximar-se do top-100 WTA; e ainda com a agradável surpresa dos “wild cards” pedidos pela polaca Urszula Radwanska, uma ex-29.ª WTA, não há dúvida de que estas três semanas de Obidos Ladies Open apresentaram-se bastante fortes.