Politica

Canábis: PCP defende dispensa apenas em farmácias hospitalares

O PCP entregou hoje um texto de substituição das propostas do BE e do PAN sobre o uso clínico de canábis que prevê que esta substância tenha estatuto de medicamento e seja dispensada apenas em farmácias hospitalares.

O PCP quer que fique claro que o uso clínico da canábis seja feito obedecendo aos mesmos critérios a que têm de obedecer todos os medicamentos e que esta substância possa ser adquirida apenas em farmácias hospitalares.

A deputada Carla Cruz diz que a proposta do PCP pretende garantir que "a prescrição é feita exclusivamente pelos médicos em receita especial", que contenha a identificação do doente, do médico, a dosagem e o período da terapêutica.

Para os comunistas, é fundamental que "a lei obedeça ao rigor científico" e que quaisquer usos terapêuticos da canábis sejam "sustentados na evidência científica".

Para já, "fica definitivamente excluído o auto-cultivo", uma vez que o BE e o PAN já tinham deixado cair esta proposta.

As propostas de alteração serão discutidas amanhã na reunião do grupo de trabalho que trata este tema.