Tecnologia

Cambridge Analytica vai fechar

Empresa diz que foi vítima de "acusações infundadas"

A Cambridge Analytica, empresa de recolha de dados associada à polémica que envolve o Facebook, vai fechar.

A notícia está a ser avançada pelo Wall Street Journal, que cita um comunicado enviado pela empresa aos seus funcionários.

A Cambridge Analytica informa que pediu insolvência no Reino Unido e que parou "de imediato todas as operações". Nos EUA, serão abertos "em paralelo processos de insolvência" relativos às dependências da empresa naquele país.

No comunicado, a empresa reitera que não cometeu qualquer ato ilegal: "Nos últimos meses, a Cambridge Analytica foi alvo várias acusações infundadas e, apesar das tentativas da empresa para corrigir essas informações, tem sido vilipendiada por atividades que não apenas são legais como comummente aceites como padrão na atividade online de publicidade e propaganda política".

Recorde-se a empresa que conseguiu recolher informação pessoal de mais de 87 milhões de utilizadores do Facebook. A Cambridge Analytica, financiada em parte por um dos apoiantes de Donald Trump, o multimilionário Robert Mercer, recebeu da campanha presidencial de Trump quase seis milhões de dólares. Participou também nas campanhas de Ted Cruz e do neurocirurgião Ben Carson para se tornarem candidatos do Partido Republicano à presidência dos EUA, ambos derrotados por Trump.