Sociedade

Incêndios. Postos de vigia entram amanhã em funcionamento

Os 72 postos estarão a funcionar até 6 de novembro. Entre o fim de junho e 15 de outubro rede será reforçada


A partir de amanhã estará em funcionamento a rede primária de postos de vigia, constituída por 72 postos que têm o objetivo de detetar e prevenir focos de incêndio. No total, haverá nesta primeira fase um total de 288 vigilantes.
Um ano depois de as chamas terem destruído uma grande áreas florestal e provocado muitas vítimas mortais, o governo decidiu ainda alargar o período de funcionamento destes postos de vigia, que em anos anteriores estavam ativos entre 14 de maio e 30 de setembro. Este ano estarão em funcionamento 24 horas entre esta segunda-feira e o dia 6 de novembro.
Segundo anunciado pelo Ministério da Administração Interna, a rede secundária – constituída por 230 postos de vigia e 920 elementos – funcionará entre o final de junho e 15 de outubro, altura considerada mais crítica.
A estes postos que compõem a rede primária e secundária de postos de vigia e que estão sob a tutela do Ministério da Administração Interna acrescem ainda mais de uma dezena de estruturas que asseguram a prevenção e deteção de incêndios sob a responsabilidade das autarquias e de estruturas militares.

No ano passado não havia postos de vigia em outubro

No ano passado, apesar da seca extrema e das fortes temperaturas que assolaram o país, os 236 postos de vigia deixaram de funcionar a 1 de outubro. Nesta rede de postos existem vários nos concelhos mais afetados pelos fogos de outubro do ano passado – dois em Pampilhosa da Serra e quatro em Arganil.
A opção de cumprir à risca a Diretiva Operacional Nacional – que previa o funcionamento destes postos apenas até ao fim de setembro – chegou mesmo a ser duramente criticada na altura pelo presidente da Liga de Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, numa entrevista à TSF.
Marta Soares considerou haver falta de planeamento, frisando o “desleixo dos responsáveis da Proteção Civil”: “Foram atempadamente avisados pelo Instituto de Meteorologia” das previsões para o mês de outubro.