Sociedade

Bombeiros criticam mudança na Proteção Civil

Bombeiros reagiram à demissão de António Paixão

Fernando Couto, presidente da Associação Nacional dos Bombeiros Profissionais (ANBP), reagiu esta terça-feira à demissão do comandante da Proteção Civil, criticando esta mudança “a meio da época”.

O presidente da ANBP disse, em declarações à Lusa, que a demissão de António Paixão veio numa altura crucial em que as entidades estão em preparação para o período crítico dos incêndios, indicando que “algo não está bem”.

“Os bombeiros vão continuar a fazer o seu trabalho de bombeiros”, afirmou, demonstrando-se preocupado com a alteração, frisando que “a esta altura, não se pode dar ao luxo destas mudanças”.

Fernando Couto disse ainda duvidar que a demissão do comandante tenha sido motivada por razões pessoais e prefere acreditar que se deve a razões “técnico-operacionais e estratégicas” porque a nova época de incêndios “está a ser preparada de forma desajustada”.

António Paixão demitiu-se ontem, segunda-feira, e será substituído pelo coronel José Manuel Duarte da Costa.

De acordo com o comunicado do Ministério da Administração Interna, António Paixão “pediu a exoneração do cargo por motivos pessoais”.

O mesmo documento refere ainda que “o secretário de estado da Proteção Civil, José Artur Neves, designou o coronel tirocinado José Manuel Duarte da Costa para exercer as funções de Comandante Operacional Nacional do Comando Nacional de Operações de Socorro da Autoridade Nacional de Proteção Civil, sob proposta do presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, tenente-general Carlos Mourato Nunes”.