Internacional

Jovem de 19 anos condenada à pena de morte por matar marido que a violou

Jovem tinha apenas 16 anos quando se casou

Uma jovem de 19 anos foi condenada à pena de morte por ter matado o seu marido, com quem foi obrigada a casar apenas com 16 anos e que a violou, no Sudão.

A jovem nunca quis consumar o casamento e, por isso, fugiu para casa de uma tia, onde ficou durante três anos. Depois desse tempo, acabou por voltar para a família do seu marido, quando foi enganada pelo seu pai.

Segundo a CNN, a jovem foi chamada à razão pelo seu advogado, o seu irmão e dois primos, mas mesmo assim continuava a recusar-se em consumar o casamento. A jovem acabou por ser esbofeteada e mandada para o quarto, onde foi segurada pelos seus familiares e violada pelo seu marido.

No dia seguinte, quando o homem ia tentar fazer o mesmo, a jovem esfaqueou-o até este morrer. A mulher acabou por fugir e procurar ajuda junto dos pais que a levaram até à polícia.

Depois de família do marido ter rejeitado o pedido de desculpas e uma indemnização esta foi condenada à pena de morte. No entanto, a defesa, que considera que a mulher foi abandonada pela família e alega que esta não estava bem mentalmente depois de ter sido violada, tem 15 dias para recorrer da decisão.

Já várias pessoas reagiram nas redes sociais a apelarem para que a jovem seja libertada. Segundo um dos investigadores da Amnistia Internacional no Sudão referiu à CNN, esta é a primeira vez que um caso deste género atrai tanta atenção, isto porque “as violações em contexto conjugal acontecem muito no Sudão e as pessoas não falam sobre isso”.

No Sudão é permitido casar com apenas 10 anos e a violação é legal durante o casamento.