Economia

OPA à EDP já era esperada

Um consórcio chinês que inclui a China Three Gorges (que já detém 23,27% da elétrica) e o segundo maior acionista, a chinesa CNIC, entregou esta sexta-feira na Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) o anúncio preliminar da oferta pública de aquisição (OPA) sobre a EDP.

A República Popular da China detém mais de 28% da empresa liderada por António Mexia e o objetivo é ficar com 100%. Se isso se concretizar, o negócio poderá envolver valores na ordem dos oito mil milhões de euros.

Ao que o SOL apurou, esta operação já era esperada e, de acordo com fonte ligada ao processo, tudo indica que terá um desfecho favorável. Nos últimos meses, têm surgido notícias dando conta do interesse de várias elétricas europeias, como a italiana Enel, a francesa Engie ou a espanhola Gas Natural Fenosa.

O regulador suspendeu a negociação das ações da EDP e da EDP Renováveis após o fecho de mercado, enquanto aguardava a divulgação de informação relevante. A EDP encerrou o dia a ganhar 0,75% para 3,11 euros na bolsa de Lisboa e a EDP Renováveis valorizou-se 0,58% para 7,84 euros. Contactadas pelo SOL, nem a EDP nem a China Three Gorges quiseram fazer qualquer comentário.