Sociedade

PGR confirma que está a investigar alegado esquema de corrupção do Sporting

O alegado esquema envolve o pagamento a árbitros para darem a vitória ao Sporting nos jogos de andebol e para fazerem perder outras equipas

O Ministério Público do DIAP do Porto está a investigar o alegado esquema de corrupção que envolve o campeonato nacional de andebol, confirmou a Procuradoria-Geral da República ao semanário "Expresso". 

O caso veio hoje a público na edição do Correio da Manhã e alegadamente envolve o pagamento de árbitros pelo atual diretor de futebol do Sporitng, André Geraldes, para que o seu clube ganhasse e outros perdessem, como alegadamente foi o caso do jogo entre o Porto e o Benfica. 

Assim, o título de campeão nacional de andebol do Sporting encontra-se sob suspeita de ter sido alcançado por meio de fraude, arriscando-se a perder o título. 

Na denúncia do caso, o Correio da Manhã diz ter tido acesso a conversas e trocas de mensagens entre empresários, coordenadas por André Geraldes. Nas mensagens, diz o CM, relatam casos de compra de árbitros por valores a rondar os dois mil euros. 

Paulo Silva, empresário e alegado intermediário dos pagamentos aos árbitros, admitiu ao CM que participou no esquema por amor, apesar de receber uma comissão de 350 euros por cada árbitro que conseguia corromper. "Cometi vários crimes pelo meu sportinguismo. Porque isto é transversal a todas as modalidades, a todos os clubes", disse Silva ao CM.