Desporto

Sporting. MP investiga possível caso de terrorismo

Comunicado foi emitido esta tarde

A Procuradoria da Comarca de Lisboa confirmou esta quarta-feira que os 23 indivíduos que foram detidos ontem após as agressões em Alcochete são suspeitos de vários crimes, incluindo terrorismo.

Num comunicado emitido esta tarde, a Procuradoria revela que os indivíduos “entraram, sem autorização, naquelas instalações onde se encontrava a equipa principal do SCP, tendo ameaçado e agredido jogadores e técnicos e causado estragos nos equipamentos bem como em diversas viaturas”.

“Em causa estão factos suscetíveis de integrarem os crimes de introdução em lugar vedado ao público, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, sequestro, dano com violência, detenção de arma proibida agravado, incêndio florestal, resistência e coação sobre funcionário e também de um crime de terrorismo”, revela a nota.

O documento diz ainda que os detidos foram presentes a primeiro interrogatório, no tribunal do Barreiro. O i sabe que, devido ao grande número de arguidos, os interrogatórios foram adiados e só deverão começar amanhã. Segundo a lei, os arguidos têm 48 horas para serem levados a um juiz. Os primeiros interrogatórios deverão começar amanhã de manhã.

Fonte ligada ao processo contou ao i que a Procuradora-Geral da República e a Secretária de Estado da Administração Interna têm estado a acompanhar o caso, pessoalmente. O Ministério Público, segundo a mesma fonte, pretende aplicar um castigo exemplar ao grupo de adeptos – de maneira a garantir que incidentes do género não voltam a repetir-se. Estando em causa este tipo de crimes, os arguidos poderão ficar em prisão preventiva a aguardar julgamento.

“As investigações prosseguem no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público do DIAP da Comarca de Lisboa (secção do Montijo), o qual tem sido coadjuvado pela GNR”, explica a nota.