Internacional

Eleições na Venezuela. Maduro já votou

Mais de 20.5 milhões de venezuelanos foram hoje chamados às urnas

Em dia de eleições na Venezuela, Nicolas Maduro foi o primeiro a votar no seu centro eleitoral, a oeste de Caracas. A maioria da oposição não participa nesta corrida por considerar o ato eleitoral fraudulento.

Mais de 20,5 milhões de venezuelanos foram hoje chamados às urnas. As mesas eleitorais abriram às 06h00 (11h00 de Lisboa). As urnas encerram às 18h00 (23h00 em Lisboa), mas permanecerão abertas caso existam ainda eleitores que não tenham votado e se encontrem à espera da sua vez.

Para além do líder da Venezuela, são eleitos hoje os membros do conselho legislativo de entidades federais e municípios. Caso seja reeleito presidente da República – o cenário mais provável -, Maduro irá liderar a Venezuela até 2025.

Henri Falcón (dissidente do chavismo), o pastor evangélico Javier Bertucci e o engenheiro Reinaldo Quijada são os outros três candidatos ao cargo. Grande parte da oposição considera este ato eleitoral fraudulento – a Mesa de Unidade Democrática, principal coligação da oposição, apelou à abstenção.

Observadores de Angola, Etiópia, Mali, Moçambique, Palestina, República Dominicana, Rússia, África do Sul e Suriname encontram-se na Venezuela para acompanhar o ato eleitoral. As fronteiras com a Colômbia, a Guiana e o Brasil foram encerradas na sexta-feira, devendo reabrir na segunda-feira. Trezentos mil oficiais das Forças Armadas venezuelanas encontram-se nas ruas para garantir a segurança ao longo deste ato eleitoral.