Politica

Santos Silva critica eleições na Venezuela

O ministro dos Negócios Estrangeiros garantiu que o governo nada fará que coloque em causa os interesses da comunidade portuguesa no país

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, considera que o processo das eleições presidenciais e legislativas venezuelanas foi "lamentável", garantindo que o governo português não irá tomar qualquer posição que coloque em causa e comunidade portuguesa no país e que tudo fará "para [os] ajudar].

"Essa tem sido a minha preocupação essencial. Qualquer medida ou atitude que o Governo tome face à Venezuela depende da resposta a esta pergunta muito simples: essa atitude prejudica ou beneficia a comunidade portuguesa e lusodescendente? Se beneficia nós tomamos, se prejudica não tomamos", disse Santos Silva aos jornalistas à margem da conferência do novo programa Exportar Online, no Porto. 

O ministro dos Negócios Estrangeiros disse ainda que por agora o governo vai esperar para ver a forma como as relações diplomáticas com a Venezuela vão evoluir. "Temos contacto com todas as autoridades venezuelanas - o Presidente e o seu Governo, mas também a Assembleia Nacional - e cuidaremos de ver como é que as nossas relações bilaterais vão evoluir, na certeza porém de que nada faremos que prejudique os interesses dos portugueses e dos lusodescendentes que residem na Venezuela", garantiu. 

O governante também não poupou nas críticas ao processo eleitoral, com uma "fraca participação", "num prazo que era injustificado" e "em condições de organização que não mereceram o consenso das várias forças concorrentes", bem como por existir uma "negação sistemática das competências institucionais da Assembleia Nacional" venezuelana. 

Ontem, a autoridade eleitoral atribuiu a vitória ao presidente e candidato Nicolas Maduro, com 67,7% dos votos, enquanto Henri Falcon, o seu principal adversário, obteve 21,2% dos votos.