LifeStyle

New York Times elogia Lisboa mas mostra o lado negativo de ser lisboeta

A capital portuguesa é considerada um exemplo de recuperação económica, mas o dinheiro que os turistas gastam por cá tem vindo a causar vários problemas aos seus habitantes.

Depois de todos os elogios feitos a Portugal, o New York Times também optou, desta vez, por traçar e contar o cenário menos positivo que o turismo tem trazido aos lisboetas, nesta que é uma altura que os preços médios das habitações subiu em cerca de 50% em apenas três anos. É esta a parte que tem deixado os habitantes locais desagrados com o "boom" do turismo. 

Sete anos depois do resgate financeiro, é clarament visível o fluxo de turistas que visitam Lisboa, mas parece que já nada é como antigamente, ou pelo menos para alguns. 

O jornalista Raphael Minder questiona “que preço estão os lisboetas a pagar por todo este boom?”, uma vez que, apesar de Lisboa ser um “exemplo privilegiado da recuperação económica da Europa”, isto não se está a refletir nos rendimentos - com o salário médio em Portugal a rondar os 850 euros e o preço das casas a aumentar a olhos vistos.

“O renascimento de Lisboa ressente-se em muitos residentes menos privilegiados, que estão a ser despejados de forma abrupta de um extremo para outro. Em algumas ruas, os dois extremos vivem lado a lado”, escreve o jornalista, sublinhando que este contraste é notável nos edifícios de luxo detidos pelos investidores estrangeiros que contrastam com os bairros mais antigos, como é o caso da Mouraria.

O jornalista foi mais longe e contou, no mesmo artigo, a história de um habitanto local, um lisboeta que vendia tapetes tradicionais e que, há três anos (2013), viu a sua renda subir de 300 euros para 1200 euros. “Há uns meses, o senhorio disse-lhe que tem de sair da casa até julho”, refere o jornal norte-americano.

O New York Times cita ainda no seu artigo a deputada Ana Drago, que explica que “a estratégia portuguesa para sair da crise baseou-se em atrair investimento estrangeiro, que resolveu a maioria dos problemas financeiros mas agora está a criar novos problemas para as nossas gentes, como é o caso desta crise no imobiliário em Lisboa”.

Leia aqui o artigo (acesso condicionado)