Economia

“Algarve espanhol” perdeu turistas portugueses

Zonas espanholas perto da fronteira já praticam preços iguais aos nossos.

O “Algarve Espanhol” como eram apresentadas algumas zonas do país vizinho perto da fronteira portuguesa – como Ayamonte, Isla Canela e Isla Cristina, entre outras – tem vindo a perder adeptos junto dos turistas portugueses. Estas zonas foram durante muitos anos uma espécie de “tábua de salvação” para quem queria passar umas férias mais económicas. No entanto, também estas localidades registaram um aumento de preços. A diferença de valores face a Portugal tornou-se irrelevante e passar a fronteira deixou de compensar em termos económicos.

Luísa Abrantes conta ao i que durante anos arrendou um apartamento em Isla Cristina por custar metade do preço face aos valores que eram cobrados em Monte Gordo, mas como gostava mais das praias portuguesas diariamente atravessava a ponte e vinha para Portugal. “Em menos de 20 minutos estava no nosso país e com a vantagem de não pagar qualquer portagem para atravessar a ponte do Guadiana. Depois era só estacionar e a aproveitar as nossas praias maravilhosas”. Só usava o imóvel para dormir. Como Luísa havia muitas outras histórias semelhantes. 

Segundo Elidérico Viegas, presidente da direção da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), nos últimos anos este expediente deixou de ter vantagens. E além dos preços serem praticamente semelhantes aos que são cobrados em Portugal, o responsável garante que oferta espanhola é inferior à nossa. “A comida é má, as praias deixam muito a desejar, os apartamentos estão inseridos numa construção padronizada e de fraca qualidade”, diz ao i.