Politica

Cardeal patriarca apela aos deputados para votarem "não" à eutanásia

"Uma vez que todos esses grupos se manifestaram insistentemente no sentido do não, se a Assembleia quer estar em sintonia com a sociedade tem de ter isso em conta"

A Igreja Católica não vê com bons olhos a possível legalização da morte medicamente assistida em Portugal e faz questão de reforçar a sua oposição. O cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, apelou aos deputados da Assembleia da República para amanhã votarem "não" aos quatro projetos legislativos do BE, PAN, PEV e PS. 

"Espero que todos e cada um dos deputados, como legisladores que são, tenham devidamente em conta o que a sociedade tem manifestado", disse ontem o cardeal à agência Ecclesia. "Uma vez que todos esses grupos se manifestaram insistentemente no sentido do não, se a Assembleia quer estar em sintonia com a sociedade tem de ter isso em conta". 

BE, PAN e PEV já anunciaram que irão votar a favor, enquanto que os deputados do PS e PSD, que perfazem 175 dos 230 deputados do parlamento, terão liberdade de voto. O CDS-PP e o PCP já se posicionaram contra a legalização da morte medicamente assistida.