Internacional

Juncker recomenda a Itália mais trabalho e menos corrupção

M5S e Liga voltam a apresentar proposta de goveno com Conte

O Movimento 5 Estrelas (M5S, na sigla em italiano) e a Liga chegaram a um novo acordo de governo, mais uma vez com Giuseppe Conte como primeiro-ministro, e tinham agendada para hoje à noite uma reunião com o presidente Sergio Mattarella. para tentar evitar novas eleições. Novidade que chegava no mesmo dia em que o presidente da Comissão Europeia mandou os italianos trabalhar mais, ser menos corruptos e não andar a atribuir todos os males de Itália à Europa.

“Os italianos têm de cuidar das regiões pobres de Itália. Isso quer dizer mais trabalho, menos corrupção, seriedade”, disse Jean-Claude Juncker. “Nós iremos ajudar, como sempre fizemos. Mas não se ponham a jogar  esse jogo de atribuir a responsabilidade à União Europeia”, acrescentou o presidente da CE.

Nesta nova coligação de governo dos dois partidos eurocéticos, já não constará o nome do economista antieuro Paolo Savona, cujo nome fez soar os alarmes em Bruxelas e que acabou  vetado por Mattarella. O presidente, entretanto, indigitou o antigo funcionário do FMI Carlo Cottarelli para primeiro-ministro, mas este ainda não formou o seu executivo de gestão.

“Todas as condições estão preenchidas para um governo político do 5 Estrelas e da Liga”, afirmaram ontem Luigi Di Maio, líder do M5S, e Matteo Salvini, líder da Liga, num comunicado conjunto depois de uma reunião que durou horas.
No novo governo liderado pelo desconhecido professor de Direito Giuseppe Conte, Salvini deverá assumir a pasta do Interior, enquanto Di Maio guardará para si um superministério que agrega o Trabalho e a Indústria. O M5S é muito crítico do papel das grandes empresas o que augura grandes mudanças.