Sociedade

Governo cancelou duas barragens que garantiam abastecimento de água ao interior

Municípios consideram que as reservas de água canceladas pelo Governo de Costa eram essenciais para dar resposta às populações que sofrem secas maiores.

Em 2016, o Governo de António Costa cancelou duas barragens que, em conjunto, garantiam o abastecimento de 764 milhões de metros cúbicos de água à população de sete concelhos da região interior-centro, escreve o jornal Público esta segunda-feira.

Os municípios em questão e, consequentemente visados por esta medida, consideram que essas mesmas reservas de água seriam essenciais para dar resposta às populações que sofrem secas cada vez maiores.

Em causa está a barragem do Alvito, no rio Ocreza, e a barragem de Girabolhos, no rio Mondego. Estas reservas de água faziam parte do conjunto de dez novas barragens do Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroelétrico (PNBEPH), lançado durante o Governo de José Sócrates, escreve o mesmo jornal.

A barragem do Alvito podia abastecer os concelhos de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão, e a barragem de Girabolhos abasteceria os concelhos de Seia, Gouveia, Fornos de Algodres, Mangualde e Nelas.