Sociedade

Trabalhadores ferroviários. Greve parou hoje quase 100% dos comboios urbanos em Lisboa

Os sindicatos já tinham avisado que a paralisação deveria ter um “grande impacto na circulação de comboios” e os dados recolhidos pela CP assim o confirmam.

Entre as 00h00 e as 08h00 desta segunda-feira, a greve suprimiu 10 ligações internacionais (66%), 60 comboios regionais (72%), 114 comboios urbanos de Lisboa (98%) e 36 urbanos do Porto (72%), disse à Lusa fonte da CP.

Os trabalhadores ferroviários da CP, da Medway e da Takargo estão, esta segunda-feira, em greve para se manifestarem contra a possibilidade de circulação de comboios com apenas um único agente.

Recorde-se que, na informação divulgado logo ao início da manhã, o Sindicato Ferroviário da Revisão e Comercial itinerante (SFRCI) tinha indicado que a adesão à greve obrigou a uma paralisação de 90% dos comboios de mercadorias e de passageiros em todo o país.

O presidente do sindicato, Luis Bravo, em declarações à Lusa, afirmou que a taxa de paralisação dos comboios entre as 22h00 e as 06h30 esteve “na ordem dos 90% em todo o país”, tendo em várias zonas urbanas atingido os 100%.

“Nas zonas urbanas de Lisboa é de 100% e no Porto de 95%”, referiu.

Os sindicatos que marcaram a greve consideram que “a circulação de comboios só com um agente põe em causa a segurança ferroviária — trabalhadores, utentes e mercadorias”, e defendem ser necessário ”que não subsistam dúvidas no Regulamento Geral de Segurança (RGS)”.

O pré-aviso de greve foi emitido por sindicatos da CGTP, da UGT e independentes, uma vez que acreditam que a redação do RGS deixa em aberto a possibilidade de os operadores decidirem se colocam um ou dois agentes nos comboios.

Uma outra greve está marcada para os dias 12 e 13 deste mês.