Desporto

Benfica. Seis arguidos após buscas no Benfica

Clube nega quaisquer responsabilidades, e afirma que vai avançar com uma "com uma queixa-crime no DCIAP"

O Jornal de Notícias escreve hoje que o Benfica foi alvo de buscas esta terça-feira, por suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

A mesma publicação refere ainda que a investigação pretende esclarecer se os montantes faturados por várias empresas ao Benfica tinham na sua base efetivas prestações de serviços, ou se foram apenas uma forma de justificar a saída de vários milhões de euros das contas da equipa das águias. 

Agora, na manhã desta quarta-feira, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa emitiu um comunicado, onde confirma a investigação dos crimes de branqueamento de capitais e de fraude fiscal no Benfica. "Foram emitidos 3 mandados de busca domiciliária e 5 não domiciliárias, de entre estes, dois às sociedades Sport Lisboa e Benfica SAD e Benfica Estádio Construção Gestão Estádios, SA", refere a PGDL.

O Benfica é suspeito de lavagem de dinheiro através de contratos de consultoria informática que eram, alegadamente, fictícios.

De acordo com a SÁBADO, estarão em causa quase dois milhões de euros.

"Indicia-se suficientemente nos autos que estas sociedades, a coberto de uma suposta prestação de serviços de consultoria informática, realizaram várias transferências bancárias para uma conta titulada por uma outra sociedade, num valor total de 1.896.660,00€, montantes esses que acabavam depois por ser levantados em numerário. Esta última sociedade terá sido utilizada com o único propósito de retirar dinheiro das contas do Benfica", refere a nota, que confirma que as buscas decorreram ontem e que estiveram nelas envolvidos "25 Inspectores da PJ".

De acordo com o comunicado da PGDL, foram constituídas arguidas três pessoas singulares e três pessoas colectivas, encontrando-se o processo em segredo de justiça.