Sociedade

SNS. Convenção em busca de um pacto

As necessidades de financiamento do SNS, a complementaridade entre público e privado e o acesso à inovação serão alguns dos temas que vão estar em debate ao longo da convenção de dois dias.

A Convenção Nacional da Saúde, de onde deverá sair uma proposta de texto base para um pacto sobre o setor, decorre amanhã e depois de amanhã na Culturgest, em Lisboa. O encontro, convocado pelas ordens profissionais da saúde, tinha ontem 1400 participantes confirmados. A abertura contará com a presença do ministro da Saúde e de Marcelo Rebelo de Sousa, que não acompanhará até ao fim os trabalhos por estar de viagem para os Açores onde vão decorrer as cerimónias oficiais do 10 de junho. Marcelo apelou desde o início do mandato à concretização de um pacto alargado para o setor da saúde, apelo semelhante ao feito para a justiça e que já teve desenvolvimentos.

As necessidades de financiamento do SNS, a complementaridade entre público e privado e o acesso à inovação serão alguns dos temas que vão estar em debate ao longo da convenção de dois dias. Na sexta-feira serão apresentadas as linhas principais de uma agenda de saúde para a década, que será a proposta de pacto a apresentar a Marcelo e aos partidos, explicou ao i o bastonário dos Médicos Miguel Guimarães, que espera que do encontro possam resultar consensos em torno de “medidas concretas”, desde logo entre as ordens.