Desporto

Sporting. As negas, o reforço e Mário Machado

Bruno de Carvalho continua à procura de um sucessor para Jorge Jesus, mas nem Scolari nem Sá Pinto querem treinar o Sporting. Entretanto há um novo candidato para líder da Juve Leo: Mário Machado

Os tempos atribulados na vida do Sporting continuam e parecem estar para durar. Ontem, o dia foi feito de duas negas, um reforço e um candidato para liderar a Juve Leo.

Comecemos pelas negas. Depois da saída de Jorge Jesus para o futebol árabe, Bruno de Carvalho e a sua equipa têm concentrado esforços em encontrar um sucessor de JJ. Primeiro foi Sá Pinto a fazer saber que não seria treinador do Sporting. Apontado como o preferido da direção do Sporting para suceder a Jorge Jesus, Sá Pinto rapidamente rejeitou a hipótese, dizendo que “neste momento não existe a estabilidade nem as condições fundamentais para que volte ao Sporting”. Ainda assim, o técnico deixou no ar a hipótese de poder voltar ao clube no futuro. Ricardo Sá Pinto, que já passou pelo Sporting como jogador e como treinador, deverá continuar a sua carreira no estrangeiro, depois de ter vencido a Taça da Bélgica ao serviço do Standard de Liège. Ao serviço do Sporting, como jogador fez 174 partidas. Enquanto treinador, Sá Pinto começou na equipa de juniores dos leões na época de 2010, chegando à equipa principal em 2012, quando ficou ligado a uma das piores épocas de sempre dos leões, com a equipa a terminar o campeonato em 7.o lugar. Depois passou ainda pelo Estrela Vermelha, da Sérvia, OFI Creta, da Grécia, Belenenses, Al-Fateh, da Índia e, finalmente, Standard de Liège, da Bélgica.

Luiz Felipe Scolari, o carismático técnico que fez com que os portugueses colocassem bandeiras nas janelas e que levou a seleção nacional à final do Euro 2004, foi o segundo a recusar o Sporting. O treinador brasileiro de 69 anos, que está atualmente sem clube, depois de ter deixado os chineses do Guangzhou Evergrande, confirmou os contactos com representantes do Sporting, como o i já tinha noticiado, mas decidiu não rumar a Alvalade. “Fui procurado por uma pessoa representando o Sporting para uma possível negociação. Agradeci pela lembrança, mas neste momento não posso aceitar o convite”, lê-se num comunicado divulgado pelo agente do técnico brasileiro. “Felipão” foi campeão do mundo com a seleção do Brasil em 2002 e, depois, mudou-se para Portugal, levando a seleção nacional à final do Euro 2004. Após uma passagem sem sucesso pelo Chelsea e pelo Uzbequistão, Scolari voltou à seleção brasileira, ficando ligado à traumática derrota da “canarinha” no Mundial de 2014 por 7-1, frente à Alemanha. Nos chineses do Guangzhou Evergrande, Scolari foi tricampeão da China entre 2015 e 2017.

Bruno de Carvalho continua, assim, sem sucessor para Jorge Jesus.

O reforço Mesmo sem treinador, Bruno de Carvalho vai contratando jogadores para a próxima temporada. Desta vez, quem chega a Alvalade é o português Bruno Gaspar. O jogador de 25 anos formado no Benfica esteve ao serviço dos italianos da Fiorentina durante a época passada, tendo feito 17 jogos ao serviço da equipa viola. Entre 2015 e 2017, Bruno Gaspar esteve ao serviço do Vitória de Guimarães. Agora, o futuro do lateral direito passa por Alvalade. O eborense assinou um contrato com os leões válido para as próximas cinco temporadas e fica com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros.

Bruno Gaspar, que já vestiu a camisola verde-e-branca para posar para a fotografia ao lado do presidente Bruno de Carvalho, não escondeu o seu contentamento por assinar pelos leões e confessou estar de baterias apontadas à seleção: “Se as coisas correrem bem, claro que penso representar a seleção nacional, sabendo que este clube me abre essa porta. Estou feliz por chegar a este nível, tal como outros companheiros da minha geração. Aos adeptos, digo que tenho a certeza de que seremos uma equipa unida em prol dos objetivos propostos.”

O lateral direito disse mesmo que, quando soube da possibilidade de assinar pelo Sporting, não pensou noutra coisa: “Queria voltar a Portugal e jogar num clube como o Sporting é o sonho de qualquer jovem português. Vou vivê-lo com a postura de querer corresponder à oportunidade que me deram. Acima de tudo, é uma boa responsabilidade.” “Venho para fazer história e na história só ficam os campeões”, acrescentou.

Mário Machado e a Juve Leo O dia de ontem no universo sportinguista ficou ainda marcado pela notícia de que Mário Machado, antigo líder da Frente Nacional, será candidato à liderança da claque do Sporting Juventude Leonina. Num texto em que anunciava a sua candidatura, partilhado no seu Facebook, Mário Machado garantiu que, “como é óbvio”, as suas convicções ideológicas “ficam à porta do Estádio de Alvalade”. “Quero desde já esclarecer, para que não existam dúvidas, que não existirão quaisquer motivações ou atitudes políticas na Curva com a nossa Direção e, como é óbvio, as minhas convicções ideológicas ficam à porta do estádio de Alvalade e nesse local sou única e exclusivamente um adepto fanático”, escreveu o antigo líder do partido nacionalista Frente Nacional.

Mário Machado acrescentou ainda que o objetivo da sua direção é “profissionalizar” a Juve Leo: “Ter um gabinete jurídico que proteja e dê apoio jurídico aos associados e à JL. Ter um departamento económico/financeiro que apresente relatórios pormenorizados aos adeptos dos movimentos de tesouraria.”