Internacional

"Sombra negra" não impediu sucesso de cimeira Trump-Kim

O presidente sul-coreano Moon Jae-in tudo fará para que o acordo assinado seja implementado na sua plenitude

O presidente sul-coreano Moon Jae-in reagiu, por meio de comunicado, ao acordo entre o presidente Donald Trump e Kim Jong-un alertando que poderão surgir "muitas dificuldades no futuro, mas que nunca se retornará ao passado". "A História é feita de pessoas que tomam decisões e aceitam desafios". 

"Presto os meus mais elevados elogios pela coragem e determinação dos dois líderes, o presidente Trump e o presidente Kim, em não se contentarem com a realidade ultrapassada e familiar, mas dar um passo ousado em direção à mudança", pode ler-se no comunicado. 

Moon Jae-in aproveitou ainda para afirmar que conseguiu prever cautelosamente o sucesso da cimeira, ainda que 70 anos de uma "sombra negra" tenha pairado sobre a mesma, dificultando o seu sucesso. "O Acordo de Sentosa de 12 de junho será recordado como um evento histórico que ajudou a quebrar o último legado da Guerra Fria na terra". 

Um sucesso que não deve ser apenas atribuído aos Estados Unidos e à Coreia do Norte, mas também à Coreia do Sul, defendeu Moon Jae-in. Por fim, o chefe de Estado sul-coreano demonstrou total disponibilidade para cooperar com Washington, Pyongyang e comunidade internacional para garantir que o acordo é implementado na sua plenitude.