Sociedade

Cuidados no Hospital de Gumarães em risco

O SEP alertou ontem que o hospital tem uma “falta de enfermeiros estrutural”, a propósito dos dois dias de greve da classe no hospital.

A situação, disse representante do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), vai piorar a partir de 1 de julho, com a aplicação da jornada de 35 horas. Para a responsável, está “em causa a qualidade dos cuidados prestados”.

A propósito de dois dias de greve de enfermeiros naquela unidade de saúde, Guadalupe Simões, explicou que o Hospital de Guimarães já tem uma “falta de enfermeiros estrutural” e que a partir de 1 de julho, data em que começa a ser aplicada a jornada de 35 horas a todos os enfermeiros, haverá um “agravamento» da situação”.

«Pode estar ainda mais em causa a qualidade dos cuidados prestados. Eles já estão [postos em causa], nomeadamente nos serviços onde estão a reduzir o número de enfermeiros por turnos e nos serviços onde se fazem turnos de 12 horas seguidas», acrescentou ainda a sindicalista

No caso do Hospital de Guimarães, afirma o SEP, é necessário contratar mais 60 enfermeiros “para o normal funcionamento dos serviços”, não havendo indicações que tais contratações irão acontecer.