Vida

Animais da União Zoófila em risco por falta de pagamento da fatura da água

"Ninguém matará à sede a Pinha e todos os outros 700 cães e gatos ao cuidado da União Zoófila"

DR  

A União Zoófila usou a sua página no Facebook para lançar um apelo: vários animais correm o risco de ficar sem água e condições de higiene, uma vez que a associação não tem como pagar a fatura correspondente ao mês de maio.

"A Pinha (...) é apenas um dos animais recém-acolhidos na União Zoófila. A Pinha vagueava, à fome e à sede, pelas ruas da cidade de Lisboa. Ontem, a Pinha bebeu água. Ontem, a boxe da Pinha foi lavada. Ontem, a almofada onde a Pinha dorme foi lavada. O acolhimento dos animais abandonados é responsabilidade autárquica. Na letra da lei. Porque, na realidade, a Pinha foi acolhida na União Zoófila. Ou teria morrido de sede e fome nas ruas de Lisboa", lê-se na publicação feita no Facebook.

A União Zoófila apela às pessoas que entreguem donativos para ajudar a pagar a dívida, que vence esta terça-feira, o que poderá implicar um corte de água brevemente. “Hoje vence a fatura da água da União Zoófila. O valor total, correspondente ao consumo de Maio, ascende a 2.450, 10 euros. Deste montante, 1.140, 59 euros devem ser pagos à EPAL [Empresa Portuguesa de Águas Livres]. O resto – 1.309, 51 euros – à Câmara Municipal de Lisboa. A União Zoófila não pagará a conta hoje. Não o fará porque não tem dinheiro. Hoje. A União Zoófila espera que a água não seja cortada. Porque a conta não será paga hoje, mas sê-lo-á, com a ajuda dos que apoiam o nosso trabalho, acreditamos, até ao final da semana”, explica a associação.

No post, é ainda feita uma crítica à EPAL e à Câmara de Lisboa: “Os animais vagueiam pelas ruas de Lisboa. A Câmara Municipal de Lisboa olha para o lado. Os animais são acolhidos na União Zoófila. Anualmente, a União Zoófila paga, só pela água que eles consomem, quase 15 mil euros à Câmara Municipal de Lisboa. E outro tanto à EPAL. Ou cortam-lhes a água. A União Zoófila já tentou tudo. Cartas. Reuniões. E nada. A União Zoófila presta um serviço a Lisboa. E paga à Câmara Municipal de Lisboa pelo serviço que lhe presta. Não somos desgraçadinhos. Os animais que acolhemos não são desgraçadinhos. São dignos. São magníficos”.

“Amigos, se, no final desta semana, a União Zoófila conseguir pagar esta conta e assim evitar o corte da água, é apenas por causa de vocês. EPAL e CML permanecem surdos e cegos aos nossos apelos (…) Ninguém matará à sede a Pinha e todos os outros 700 cães e gatos ao cuidado da União Zoófila. Ninguém”, conclui a publicação.