Economia

Investimento estrangeiro em Portugal aumentou 61% no ano passado

Foram registados 95 projetos de investimento que levaram à criação de 7657 empregos, com o segmento da indústria a liderar com 48% do número de projetos e 41% do total de empregos criados.

O investimento estrangeiro em Portugal atingiu no ano passado níveis recorde ao captar 95 novos investimentos (face aos 59 registados o ano passado), o que representa um aumento de 61% face ao ano anterior. A conclusão é do estudo da EY Portugal. 

Estes 95 projetos de investimento, levaram à criação de 7657 empregos, com o segmento da indústria a liderar com 48% do número de projetos e 41% do total de empregos criados. A área de investigação & desenvolvimento aparece como a segunda atividade mais importante em termos de criação de emprego, sendo responsável por 18 novos projetos que geraram 1420 novos postos de trabalho.

“Em 2017, Portugal atraiu mais projetos e é hoje um lugar privilegiado em termos de atratividade para investimento estrangeiro, com os investidores a revelarem sinais de aumento da confiança em virtude do clima de estabilidade nacional e competitividade do país. O desempenho de Portugal permite que o país esteja hoje entre os melhores da Europa”, diz Florbela Lima, partner da consultora.

No que toca a intenções de investimento a curto prazo, 31% da amostra (num total de 2013) afirmou ter planos de investimento para os próximos três anos. Lisboa surge novamente como a região mais atrativa, seguida pela região Norte, Centro, Algarve, Madeira, Alentejo e Açores.

A estabilidade social característica de Portugal é, para 86% dos inquiridos, o principal fator de atratividade do país, seguida do potencial de aumento da produtividade e os custos laborais com 78% e 77% respetivamente.

Quando questionados relativamente aos aspetos que requerem melhorias, este estudo destaca três fatores fundamentais: a carga fiscal, uma melhoria dos incentivos regionais e suporte específico, o mercado doméstico Português (na sua perspetiva de dimensão do mesmo) e os incentivos empresariais em geral.