Internacional

Sara Netanyahu acusada de fraude

A mulher do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, é acusada do uso indevido de verbas do Estado. Gastou 85 mil euros em comida gourmet

O gosto da mulher do primeiro-ministro israelita por comida gourmet pode vir-lhe a sair mais caro do que ela gastou aos cofres do Estado. Sara Netanyahu vai enfrentar em tribunal acusações de fraude, uso indevido de dinheiros do Estado e abuso de confiança.

Junto com a mulher de Benjamin Netanyahu senta-se no banco dos réus o ex-vice-diretor-geral do gabinete do primeiro-ministro, Ezra Saidoff, acusado dos mesmos crimes e mais um: falsificação de documentos.

Sara Netanyahu terá gasto 85 mil euros em três anos (2010-2013) em encomendas de comida de restaurantes gourmet para a residência do primeiro-ministro, isto quando já tinha um cozinheiro ao seu serviço. Os dois arguidos estavam cientes da ilegalidade das suas ações, tanto é que “transferiram” o cozinheiro para a folha de pagamentos da equipa de manutenção da residência para não levantar suspeitas.

Os advogados de Netanyahu afirmam que “a acusação é infundada e delirante”, salientando que a mulher do chefe do governo até passou num teste de polígrafo.