Politica

PS pede pacto para a Saúde

Lei de Bases da Saúde proposta pelo Bloco em debate no Parlamento. O PS pede "um verdadeiro pacto para a Saúde".

O deputado socialista António Sales lançou esta sexta-feira um repto a todos os partidos  para se alcançar "um verdadeiro pacto para a Saúde". No debate sobre a Lei de Bases da Saúde, proposta pelo Bloco, os socialistas avisaram o partido de Catarina Martins que não recebem lições sobre a memória de António Arnaut, considerado o 'pai' do Serviço Nacional de Saúde. 

Moisés Ferreira, do Bloco, começou a discussão com outro desafio: "Este é o momento para ter coragem. É tempo de instituir a Saúde como um direito e fechar a porta ao negócio". O deputado defendeu ainda que o trabalho realizado pelo grupo de trabaloh, liderado pela socialista Maria de Belém, é "claramente insuficiente" e "mantém quase tudo como está". 

Na réplica, António Sales admitiu que o resultado do grupo de trabalho "não vincula o Governo". Na prática é um documento para a recolha de contributos "até supra partidários" em nome de uma revisão da Lei de Bases da Saúde. E se o PS quer contributos de todos, também dá pistas ao Bloco de que não pretende acabar de vez com as Parcerias Público-Privadas no setor de Saúde. "É preciso fazer uma prévia avaliação das necessidades", avisou António Sales.

No final do debate, o Parlamento decide que se a proposta do Bloco será votada ou se baixa à especialidade, para a comissão de Saúde.