Economia

Preços das casas continuam a bater recordes e só no 1º trimestre subiram 12,2%

Neste período foram vendidas 40.716 casas. Já o o valor das vendas realizadas ultrapassou os 5,4 mil milhões de euros.

Os preços das casas  continuam a aumentar. Só nos três primeiros meses do ano subiram 12,2%, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Trata-se do valor mais elevado desde que há registo.

Neste período foram vendidas 40.716 casas, o que representa um aumento de 15,7% face a igual período do ano passado, mas ainda assim, menos 4,1% do que no trimestre anterior.

Já o valor das vendas realizadas ultrapassou os 5,4 mil milhões de euros, um aumento de quase 26% face ao primeiro trimestre de 2017. As vendas de habitações existentes ultrapassaram os 4,4 mil milhões de euros (81% do total), enquanto as habitações novas totalizaram mil milhões de euros. 

A área Metropolitana de Lisboa e a região Norte concentraram 65% do total do número das vendas de habitações, o registo mais elevado dos últimos dois anos. Só a área Metropolitana de Lisboa atingiu as 14 548 vendas e, tal como tem vindo a suceder desde o terceiro trimestre de 2017, a região Norte voltou a exceder as 11 mil transações.

Com um total de 3 920 transações, o Algarve foi a outra região, a par das duas mencionadas anteriormente, que aumentou (em 0,1 p.p.) a sua importância relativa no total das vendas realizadas no país. A área Metropolitana de Lisboa e a região Norte representaram 71,8% do valor das transações realizadas nos três primeiros meses de 2018, o que constitui um novo máximo da série disponível (mais 0,6 p.p. face ao anterior máximo observado no primeiro trimestre de 2017).

No período em análise, a região Norte aproximou-se dos 1,3 mil milhões de euros num único trimestre (novo máximo da série), enquanto a área Metropolitana de Lisboa registou 2,6 mil milhões de euros. Em termos de quota relativa, Norte e Algarve foram as únicas regiões a registarem aumentos (0,8 e 0,7 p.p., respetivamente). 

Mas foi na área Metropolitana de Lisboa, seguida do Algarve e do Norte registaram os maiores aumentos homólogos do número de vendas de habitações (17,5%, 16,3% e 16,2%, respetivamente). Neste período, a Região Autónoma dos Açores foi a única a apresentar uma redução (4,9%). No que se refere aos valores transacionados, nos primeiros três meses de 2018, apenas o Algarve (34,0%) e o Norte (29,9%) registaram taxas de crescimento do valor transacionado superior à média do país (25,7%). A Região Autónoma dos Açores registou uma pequena redução de 0,1%. Na Região Autónoma da Madeira, no Alentejo e no Centro observaram-se taxas de variação de 8,2%, 8,6% e 22,6% respetivamente.