INE

Défice acima da meta do Governo

O défice das administrações públicas fixou-se em 0,9% do PIB no primeiro trimestre de 2018, acima da meta de 0,7% fixada pelo governo para o conjunto do ano.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o défice orçamental foi de 434,3 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, o que corresponde a 0,9% do Produto Interno (PIB), inferior ao registado no mesmo período de 2017.

Nos primeiros três meses do ano passado o saldo orçamental do ano passado foi "largamente influenciado" pela operação de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que levou o défice a 10,6% do PIB.

Excluindo esta operação, o défice ficou em 2% no primeiro trimestre e teria ficado em 0,9% no conjunto do ano. Mas como a operação de recapitalização da CGD – que custou aos cofres públicos 3,9 mil milhões de euros - foi contabilizada, o défice no ano passado ficou em 3%.

Para a diminuição do défice, o INE salienta a “diminuição de 1,5% das despesas com pessoal, influenciada pela alteração do regime de pagamento do subsídio de Natal, que deixou de ser em duodécimos”

O organismo oficial de estatísticas aponta também no lado da despesa para  “diminuição de 7,2% nos encargos com juros, em grande parte justificados pela redução dos juros referentes aos empréstimos obtidos no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira”

Do lado da receita, diz o INE. “a receita corrente e a de capital aumentaram 3,2% e 10,9%, respetivamente” com a variação positiva da receita corrente a justificar-se “pelo aumento das receitas com impostos sobre a produção e a importação (7,2%), com contribuições sociais (3,3%) e com impostos sobre o rendimento e património (2,6%)”.