Internacional

Interpol. Países da África Ocidental vão estar ligados à base de dados internacional

Programa é financiado maioritariamente pela UE

A base de dados da Interpol vai aumentar esta terça-feira com um reforço do seu programa de segurança na África Ocidental. Isto inclui a ampliação de um sistema de dados criminais a nível nacional, que estará ligado à base de dados internacional.

Este novo sistema fará assim com que a polícia dos países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) tenham acesso e tempos real aos dados criminais globais, avançou a agência Lusa.

Neste momento, o programa, que é financiado sobretudo pela União Europeia (EU), está a decorrer de forma experimental no Benim, Gana, Mali e Níger e deverá estender-se depois ao Burkina Faso, Chade, Costa do Marfim e Mauritânia. Posteriormente todos os países que integram o conjunto regional da África Ocidental deverão também ser integrados no programa.

Segundo a Interpol, grande parte dos dados policiais africanos são arquivados em papel, tendo o sistema vindo modernizar a forma como eram feitos os registos.