Sociedade

Tribunal condena homem que matou professor do Algarve a 24 anos de prisão

Os factos remontam a 28 de fevereiro de 2017, na cidade de Lagoa

O Tribunal de Portimão condenou na passa terça-feira o homem que matou um professor do Ensino Secundário do Algarve, a uma pena de 24 anos de prisão, por homicídio qualificado

Os factos remontam a 28 de fevereiro de 2017, na cidade de Lagoa, onde o homem de 31 anos matou o professor com uma navalha, divulgou o Ministério Público de Faro (MPF) em comunicado.

Na nota é possível ler que o homicida fugiu com o carro do professor e falsificou uma declaração de venda, registando o veículo em seu nome, crimes pelos quais também foi condenado em tribunal.

O MPF recorreu à não determinação de prisão preventiva no primeiro interrogatório judicial que ocorreu a 10 de março de 2017.

Foi o Tribunal da Relação de Évora quem deu razão ao Ministério Público e decretou a medida de prisão preventiva ao homem que matou o professor, situação em que se encontra desde 26 de abril de 2018.

Além do crime de homicídio qualificado, o arguido foi também condenado por furto qualificado e falsificação de documento, numa pena única de 24 anos.