Economia

Obrigações: subscrição da nova série já arrancou. Saiba se compensa

O mínimo a investir são mil euros e o máximo um milhão de euros. Já o juro foi fixado em 1%.

Arrancou esta quarta-feira, o período de subscrição da mais recente emissão de obrigações destinadas aos investidores do retalho. A nova colocação de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV). Este produto financeiro está disponível para subscrição até ao próximo dia 17 de julho e distingue-se das anteriores por ter um prazo mais alargado. No entanto, também a remuneração mais baixa de sempre. 

O prazo de investimento subiu de cinco para sete anos. A decisão de alargar a maturidade destas obrigações surge depois de, em outubro do ano passado, o Governo ter lançado os Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC) também com um horizonte temporal de sete anos em substituição dos Certificados do Tesouro Poupança Mais que tinham uma maturidade de cinco anos.

O Tesouro oferece uma taxa de juro de 1%, a mais baixa de todas as operações deste âmbito já realizadas. Na emissão imediatamente anterior, a taxa de juro foi de 1,1%. A primeira emissão realizada em maio de 2016 foi disponibilizada a uma taxa de juro de 2,2%.

O mínimo a investir são mil euros e o máximo um milhão de euros.