Internacional

Tailândia. Operação de resgate recomeça amanhã. Quatro crianças já estão a salvo

A missão de resgate da equipa de futebol presa numa gruta entrou este domingo em marcha. Quatro crianças já estão a salvo. Operação recomeça amanhã.

Quatro das doze crianças – que estavam presas há 16 dias na gruta Tham Luang, na província de Chiang Rai, Tailândia – foram resgatas hoje, assegurou, em conferência de imprensa, o governador da província, Narongsak Osattanakor. 

No balanço feito à operação, o responsável admitiu que a “primeira etapa” de salvamento “foi concluída com sucesso”, que a operação está a correr “melhor do que o esperado” e que “todas as pessoas estão felizes”.

Os quatro jovens que já se encontram na superfície, estão “de boa saúde”, com apenas um deles a necessitar de cuidados redobrados. Apesar de não ter sido possível perceber qual é a condição de saúde da criança, o “The Guardian” escreve que a mesma está a ser “monitorizada de perto”. As crianças foram levadas de imediato para o hospital, tendo chegado em segurança, mas os seus nomes ainda não foram revelados.

Segundo fontes oficiais, citadas pelo mesmo jornal, os jovens que se encontram mais debilitados estão a ser retirados em primeiro lugar.

Depois de um dia de operações, a missão de resgate foi suspensa e está prevista recomeçar amanhã, após estar parada 10 a 12 horas porque a equipa de resgate precisa desse tempo para planear os próximos resgates: “Gastámos todo o oxigénio. (...) Os tanques precisam de ser reabastecidos”, explicou o responsável. 

Um comandante do exército tailandês referiu hoje, citado pela Lusa, que o resgate pode demorar entre dois a quatro dias: “vão sair um a um, em aproximadamente dois a quatro dias, dependendo das condições do tempo e da água”.

Operação de resgate

As previsões de chuva intensa e do agravamento das condições meteorológicas em Chiang Rai, obrigou as autoridades a adiantar a arriscada operação de resgate. A missão entrou em marcha este domingo, com início às 3h da manhã (hora de Lisboa): “Hoje é o dia D... Os rapazes estão prontos para enfrentar todos os desafios”, revelou o governador.

Ontem, por volta das 13h (hora de Lisboa) já tinham sido retiradas as duas primeiras crianças da gruta, que foram imediatamente levadas para o hospital por uma ambulância e um helicóptero: “Saíram duas crianças. Estão neste momento a ser assistidas no hospital montado à entrada da caverna”, revelou o responsável pelo departamento de saúde de Chiang Rai, Tossathep Boonthong, à agência Reuters. 

Para o resgate, cada criança terá de percorrer um circuito com quase quatro quilómetros de extensão. Para facilitar este processo, a equipa de resgate, composta por 90 mergulhadores – 50 estrangeiros e 40 tailandeses – instalou uma corda em toda a extensão da gruta. 

Segundo as contas dos mergulhadores, um profissional demora cerca de 11 horas a percorrer esse caminho, nos dois sentidos. Para as crianças a estimativa era a mesma, no entanto, segundo o jornal “The Guardian” a operação de resgate foi efetuada mais rapidamente do que o previsto, porque o nível de água dentro da gruta baixou, permitindo assim aos jovens sair da gruta a caminhar em vez de terem de nadar ou mergulhar.

Para esta operação, as 12 crianças e o treinador foram divididos em grupos de quatro, com quatro jovens a sair em primeiro lugar e os últimos três serão acompanhados pelo treinador. 

Reações, Ofertas e Apoios

As redes sociais não param de ser bombardeadas com reações a esta grande operação de resgate. No momento em que a missão está a correr bem, os utilizadores relembram Saman Gunan, o mergulhador que morreu na passada sexta-feira enquanto se preparava para ingressar a equipa de resgate este domingo.

A Marinha da Tailândia também se manifestou no Facebook. “Hoje podemos todos dormir bem. Boa noite!”, escreveu a entidade depois das operações de resgate.

A família de um dos rapazes também falou sobre o resgate. À CNN admitiu que está “metade feliz, metade aliviada” com as operações. A avó disse também que quando o seu neto regressar a casa, a primeira coisa que vão fazer, é organizar uma festa, mas demonstrou-se apreensiva: “Tenho medo que os mergulhadores não os consigam tirar em segurança”.

Para além das manifestações nas redes sociais, na semana passada várias pessoas ofereceram apoios à equipa de resgate e às crianças. É o caso de Elon Musk, empresário conhecido pelos carros Tesla. Musk propôs à equipa a utilização de um tubo de nylon na gruta transportaria ar, permitindo assim às crianças andar até à entrada da gruta. O empresário anunciou também, através do seu Twitter, que estava a enviar para o local uma equipa: “Engenheiros da SpaceX e Boring Co dirigem-se amanhã [sábado] para a Tailândia para verem se podemos ser úteis ao governo”.

Gianni Infantino, presidente da FIFA, também manifestou publicamente o seu apoio às 12 crianças e ao treinador, convidando a equipa a assistir à final do Mundial de Futebol. Numa carta enviada à Federação Tailandesa de Futebol, o responsável confessa estar a “seguir as notícias ansiosamente”, fazendo assim o convite: “em nome da comunidade internacional de futebol, gostaria de expressar as minhas mais sinceras simpatias e apoio às famílias dos jogadores e treinador, bem como a minha solidariedade ao povo da Tailândia, neste momento de grande preocupação”.

Afinal como ficaram presos?

A equipa de futebol – composta por crianças entre os 11 e 16 anos – desapareceu no passado dia 23 de junho, depois de um jogo de futebol, quando foram explorar a gruta com o seu treinador de 25 anos. As chuvas intensas inundaram a gruta, bloqueando assim o caminho até à saída da mesma.

As autoridades encontraram a equipa nove dias depois do seu desaparecimento, sã e salva.