Desporto

As mensagens do ataque a Alcochete. “Bate a sério no William. Nem joga no domingo”

Foram reveladas as mensagens dos vários elementos que invadiram Alcochete e agrediram os jogadores do Sporting.

A notícia, avançada pelo CM na edição desta quarta-feira, dá conta das várias mensagens trocadas em pelo menos três grupos da aplicação de mensagens Whatsapp intitulados ‘Piranhas’, ‘Exército Invencível’ e ‘Academia Amanhã’.

Nas mensagens agora divulgadas é percetível o ódio de vários elementos por alguns jogadores do Sporting, tal como o incitamento à violência. Numa das mensagens era, inclusive, discutido quem é que ficava com quem: “O Jorge Jesus é meu”, dizia um dos elementos num grupo do Whatsapp.

"Batam neles PF"; "Que vergonha f*, vamos bater neles?"; "Filhos de uma grande p*, por mim era ir ao treino"; "Bora, vamos lá... tudo a levar nos cornos", são apenas algumas das mensagens contidas nos grupos que ajudaram a planear o ataque à Academia do Sporting.

No meio das várias mensagens é possível perceber que havia alvos bem identificados: "Coentrão na 2ª parte não quis jogar mais"; "William essa m* já nem palavras tenho para esse gajo só me apetece espancá-lo"; "Patrício f* vê se mesmo que já se tá a cagar para o clube, Coates nojento mais uma vez, Piccini nem com a peida consegue, Gelson é burro todos os dias, Bas Dost não corre pensa que só jogam para ele".

Recorde-se que depois do ataque que aconteceu a 15 de maio, em que foram agredidos jogadores e elementos da equipa técnica do Sporting, foram detidos 23 suspeitos que acabaram por ficar em prisão preventiva e, logo de seguida, mais quatro, entre eles Fernando Mendes, ex-líder da ‘Juve Leo’.

Entretanto, esta segunda-feira, foram detidos mais oito adeptos ligados ao ataque à Academia de Alcochete.